Chuvas continuam no Sul e Sudeste nesta quarta, diz metereologista

Ana Sachs
Do UOL Notícias
Em São Paulo

As chuvas que atingiram as regiões Sul e Sudeste devem continuar nesta quarta-feira (9), segundo Mônica Lima, meteorologista do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe). De acordo com ela, a massa de ar úmida ficará estacionada sobre São Paulo, causando fortes chuvas e temporais no Estado.

Chuva intensa provoca mortes no interior de Santa Catarina



Já uma frente fria permanece sobre o Sul do país, ocasionando queda nas temperaturas. Os temporais, entretanto, devem dimuinuir em algumas áreas. "A região continua em alerta, mas não se espera chuva tão intensa", disse.

Ainda pode chover forte no leste do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e centro-leste do Paraná, de acordo com ela. "Atrás da frente fria vem ventos de sul que mantêm essa instabilidade na região", explica a metereologista. Deve chover ainda no sul do Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais.

De acordo com Lima, as fortes chuvas foram causadas por um frente fria vinda do sul, que, ao se encontrar com a massa de ar quente, causou os fortes temporais. "O encontro da massa quente com a umidade da massa fria favorece a formação de nuvens cúmulo-nimbo, que são associadas a fortes temporais", explicou.

Segundo ela, em quase todo o Rio Grande do Sul choveu acima da média do mês. "Já está acima do esperado para o mês, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Metereologia). No oeste do Estado há regiões onde choveu acima de 100 mm do esperado para o mês todo nesses primeiros oito dias", contou.

O Estado de Santa Catarina foi um dos mais afetados pelas chuvas. "Nos primeiros oito dias do mês, choveu no oeste do Estado 50 mm acima do que é esperado para todo o mês de setembro", afirmou Mônica, citando dados do Inmet.

Em SC, ainda, os ventos chegaram a 130 km/h no extremo sul do Estado na madrugada desta terça, segundo a meteorologista. De acordo com ela, ainda não há confirmação de que um tornado tenha atingido a região, mas ela diz que "há essa possibilidade". "Nas outras áreas não tem tanta destruição, isso pode ser um indicativo [de tornado[", apontou.

No município de Guaraciaba, a 700 km de Florianópolis (SC), a tempestade deixou quatro pessoas mortas e 89 feridas. "Os ventos e o granizo afetaram uma área de casas de madeira, mais vulnerável", disse Lima.

A chuva também foi intensa no Estado de São Paulo, onde duas crianças, uma de 8 e outra de 2 anos, foram soterradas por um deslizamento de terra no bairro A.E. Carvalho, na zona leste da capital. Outra pessoa morreu em Osasco.

Nesta terça, o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) registrou o maior volume de chuva em setembro em apenas um dia desde 1943, quando o instituto começou a medir a precipitação na cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos