"Eu rodei e o assoalho sumiu", diz moradora de área atingida por tornado em SC

Ana Sachs
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Doações para Guaraciaba

A Defesa Civil e a Prefeitura de Guaraciaba anunciaram duas contas para o depósito de auxílio financeiro às famílias atingidas pela tempestade. Os depósitos podem ser efetuados na conta 30.000-4, agência 1388-9, Banco do Brasil, em nome da Mitra Doações Guaraciaba, e na conta 40.000-4, agência 1388-9, SOS Guaraciaba/SC.

A agricultora Cleonice Lazzari, de 38 anos completados ontem, internada no hospital São Lucas, em Guaraciaba, com hematomas por todo o corpo, conta momentos de terror com a passagem do tornado por sua propriedade, na comunidade Linha Flores. Sua filha, de 10 anos, sofreu cortes profundos nas costas e também segue internada. Sua mãe, que quebrou as pernas, teve alta nesta manhã.

A avó, de 86 anos, foi uma das quatro pessoas mortas na tragédia. "Perdemos tudo, tudo, não sobrou nada para contar a história, sobrou o banheiro de pé e um pilar da casa. O galpão, a casa, que era de madeira, as plantações de fumo, caiu tudo, as árvores foram todas arrancadas, o que não arrancou, quebrou. Não tem sobrevivente lá", relatou. Ela faz um apelo: "A gente precisa muito de roupas, móveis, não temos mais nada."

Ela conta que estavam em seis na casa - ela, sua filha, a cunhada, uma sobrinha de 4 anos, sua mãe e sua avó - quando, por volta das 20h de segunda-feira, começou uma forte tempestade com muito vento, seguida de queda de energia elétrica. "A gente estava rezando dentro de casa, com lanterninhas, e corríamos de um lado para o outro para segurar as janelas que tremiam. Eu estava no meu quarto quando a janela voou e meu guarda roupa abriu as portas. Eu corri para a cozinha e fiquei com minha filha, minha cunhada e minha sobrinha embaixo da mesa. Minha mãe ficou segurando a porta para não voar e minha avó estava perto da pia", disse.

Nesse momento, ela disse que perdeu a noção de onde estava e que o chão "sumiu". "Foi uma barulheira, imagina, quebrando tudo, arrancando tudo. Não sabemos mais o que aconteceu, vi que rodei, sumiu o assoalho. Como os relâmpagos eram fortes, consegui ver minha filha, peguei ela e sentei ela perto da estaca que sobrou", relatou.

De acordo com ela, os vizinhos dizem ter visto pedras enormes caírem do céu na chuva de granizo. "Achamos umas portas de madeira, erguemos e ficamos embaixo para nos protegermos do granizo. Eu coloquei uma bacia na cabeça para me defender das pedras. Minha cunhada saiu correndo em meio as destroços e achou uma sacola com cortinas que usamos para nos proteger e para estancar o sangue da perna da minha mãe, que tinha a perna fraturada".

Plantações de eucalipto de até três hectares sumiram do mapa após tornado, diz produtor rural de SC

O veterinário Júlio César Golin, chefe da equipe técnica da cooperativa Terra Viva, afirmou que o tornado que atingiu o oeste de Santa Catarina na segunda-feira (8) à noite deixou um rastro de destruição e trouxe grandes prejuízos aos produtores rurais da região. A cidade mais atingida foi Guaraciaba, onde quatro pessoas morreram.



A avó de Cleonice foi encontrada a 150m da casa, perto de um açude, segundo ela. "Ficamos chamando, ela não respondia, não saíamos onde estava".

Um tio, que mora a 300m da casa de Cleonice, veio ajudar. Ele e sua família se abrigaram em um ônibus que possuem, e se salvaram sem ferimentos graves. Enquanto o restante da família era levada à cidade, Cleonice ficou com sua mãe em meio à chuva, pois ela não podia andar por conta da perna quebrada. "Ela desmaiou umas quatro vezes, não tinha água, e estávamos com sede. Consegui pegar a água suja do resfriador de leite para tomar."

A ajuda chegou uma hora depois. "O meu pai e meu irmão não estavam em casa, estavam em uma reunião na comunidade com o carro. Eles demoraram porque tudo estava bloqueado, usaram uma motosserra para desbloquear a estrada", lembrou.

A agricultora Maria Helena Possato, de 36 anos, também moradora de Linha Flores, foi ajudada pela colega Cleonice. Um pilar de madeira caiu sobre sua cabeça, e ela ficou com os cabelos presos sob ele. "A Cloenice que me ajudou. Precisei arrancar meu cabelo para me soltar da madeira. Meu Deus, eu estou toda roxa, toda arrebentada, é coisa de outro mundo", lamentou.

Ela está internada no hospital São Lucas com hematomas e dores por todo o corpo. Sua filha, de 15 anos, teve alta nesta terça e seu marido, que quebrou as pernas, segue internado na cidade de São Miguel.

Vizinhos de Maria Helena dizem ter visto galinhas e cachorros voando pelos ares. "Foram segundos, minutos, não sabíamos o que esta acontecendo. A gente acha que acontece só com os outros, porque nunca tinha acontecido uma coisa dessas aqui."

A casa de Maria Helena era parcialmente de madeira e o restante de alvenaria. Tudo veio abaixo. A família já estava deitada quando a tempestade começou. Assustado, se levantaram e se vestiram. Pouco depois, o vento arrnacou o telhado da casa. "Eu e meu marido queríamos proteger o sofá da chuva, aí eu e minha filha nos abraçamos e voamos. Nisso a casa levantou toda."

Ela acredita ter voado cerca de 150m com sua filha. "Aí um pedaço de madeira caiu sobre minha cabeça e outro sobre as pernas do meu marido, e ele começou a gritar", contou. "Nesse momento, uma colcha caiu sobre minha cabeça, parece que Deus tinha mandado para me proteger do granizo."

Quando conseguiu se soltar, Maria Helena foi buscar ajuda na casa de seu pai, que também veio abaixo, a 500m dali. Esperaram 3h30 pela ajuda, que não conseguiu chegar. "Meu irmão trouxe um trator da cidade e fomos no meio da chuva, vendaval e granizo levar meu marido ao hospital. Não tínhamos mais celular, telefone. O que era de tijolo está no chão, o que era de madeira voou longe. Perdemos tudo, não temos nada. Até o piso foi arrancado com o vendaval", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos