Quase 40 mil casas continuam sem luz no RS

Flávio Ilha
Especial para o UOL Notícias
Em Porto Alegre


Cerca de 38 mil casas continuavam sem fornecimento de energia elétrica na manhã desta quarta-feira (09) em razão do temporal que atingiu o Estado no feriado de 7 de setembro. A região mais afetada está concentrada entre os municípios de Bagé e Pelotas, onde três torres de transmissão foram derrubadas por rajadas de vento superiores a 130 km/h. Na região, 26 mil domicílios continuam sem luz.

As cidades mais atingidas são Pelotas, Arroio Grande e Bagé, segundo a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE). Há problemas também em Canguçu, Morro Redondo e Piratini. Segundo a empresa, as equipes de manutenção estão trabalhando na recuperação das torres afetadas desde às 14h da segunda-feira (7). Não há previsão de retorno do abastecimento.

Na área de abrangência da Rio Grande Energia (RGE), 11 mil clientes estão sem fornecimento de energia há 48 horas. Na zona de concessão da AES Sul, a falta de fornecimento está concentrada em 1.500 consumidores de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre.

Segundo a Defesa Civil, os municípios de Itaara e Victor Graeff acumulam 1.300 casas afetadas pelo temporal. As duas cidades decretaram situação de emergência. O governo gaúcho enviou 4.000 telhas para Itaara e 2.000 telhas par Victor Graeff, além de lonas para as famílias atingidas. Em São Gabriel, 120 residências foram destelhadas.

SC tem 138 feridos

Quatro pessoas morreram em 46 municípios catarinenses atingidos pelas fortes chuvas e ventos


Em Arroio Grande, na região sul do Estado, o vento destelhou 50 moradias. Em Bagé, onde o temporal registrou rajadas de até 110 quilômetros horários, os danos foram limitados a 15 moradias.

Nas regiões centro e norte do Estado, também houve estragos. A prefeitura de Frederico Westphalen decretou situação de emergência devido ao destelhamento de 50 casas. Em Santa Maria, onde 40 residências foram atingidas, a prefeitura também estuda a possibilidade de decretar emergência.

Chuva faz represas de SP alcançarem maiores níveis dos últimos anos

A chuva que atingiu São Paulo nesta terça-feira (8), a maior do ano, contribuiu para que as duas principais represas que abastecem a população da Grande São Paulo alcançarem o maior nível nos últimos anos para o mês de setembro, segundo a Sabesp.


O subchefe da Defesa Civil no Estado, coronel Joel Prates Pedroso, informou que há registro de poucas famílias desabrigadas. "Nossa prioridade foi retirar pessoas de locais de risco para abrigos e casas de parentes", disse. As cidades mais atingidas também deverão receber cestas básicas do governo do Estado.

A chuva deve seguir sobre o Rio Grande do Sul nos próximos dias, com as temperaturas em ligeira queda, segundo informou a Defesa Civil. Os termômetros marcaram 3ºC em algumas regiões gaúchas nesta manhã, enquanto as máximas previstas não devem passar dos 19ºC. Para a quinta-feira (10), a Defesa Civil alerta novamente para chuvas nas regiões norte e nordeste.

Veja no mapa abaixo as cidades mais atingidas pelo temporal no RS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos