Serra diz que transbordamento de rio é culpa da "natureza que se rebela"

Fabiana Uchinaka
Do UOL Notícias
Em São Paulo


O governador de São Paulo, José Serra, descartou nesta quarta-feira (9) que o transbordamento do rio Tietê na tarde de ontem tenha qualquer relação com as obras de ampliação das pistas da marginal e culpou "a natureza que se rebela" pelos alagamentos. "Temos que rezar para que não se repita", falou.

Serra também criticou a proposta pelo engenheiro e professor da Unicamp Roberto Watanebe, apresentada na edição de hoje da Folha de S.Paulo, de acabar com as marginais Pinheiros e Tietê.

Ontem a cidade de São Paulo bateu recorde de chuva em 24 horas e os rios Pinheiros e Tietê transbordaram. "Não temos galerias de água, a chuva escorre na rua. Lugar de água da chuva é embaixo da terra. E pensar nas marginais. Elas não deveriam existir", disse Watanabe em entrevista à Folha.

"Qual é a proposta? Destruir as marginais? E as pessoas vão de burrrinhos até Guarulhos? É um dado da realidade, o que a gente está fazendo é minimizar o problema", rebateu Serra durante entrevista coletiva.

Segundo o governador, a chuva de ontem foi "inusitada". "Os efeitos negativos são praticamente inevitáveis. Quando é uma chuva menor, você pode dizer que é efeito disso ou daquilo. Mas uma tempestade deste tamanho, mesmo que tivesse tudo impecável, seria fatal", disse.

Ele afirmou ainda que a ampliação das pistas da marginal Tietê "não tirou um metro quadrado de permeabilidade" da região. "Está tudo equacionado. Pelo contrário, vai criar o maior parque linear do mundo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos