Polícia transfere integrantes de facção criminosa suspeitos de protestos em Salvador

Especial para o UOL Notícias
Em Salvador

Atualizado às 13h11

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia transferiu no início da tarde desta quinta-feira (10) 12 presos suspeitos de envolvimento na onda de protestos que atinge Salvador desta a última segunda-feira, feriado de 7 de Setembro. Eles saíram de Salvador e foram encaminhados para o presídio de segurança máxima de Catanduvas (PR). No mesmo local já se encontra outro famoso traficante baiano, conhecido como "Perna".

Seleção faz torcida ignorar onda de violência em Salvador

Outros dois suspeitos foram transferidos pela manhã, em voo comercial, mas a polícia não informa o local para onde eles foram encaminhados. Segundo o secretário de Segurança Pública da Bahia, César Nunes, os 14 transferidos têm ligações com os ataques na capital baiana e integram a facção criminosa Comando da Paz (CP).

A secretaria divulgou o nome dos presos transferidos: José Henrique Conceição (conhecido como Papa), Cleber Nobrega Pereira (Kekeu), Josevaldo Bandeira (Val Bandeira), Renildo Nascimento (Aladim), Tiago Conceição dos Santos (Miage), José Roberto da Hora (Robertinho), Marcos Costa dos Santos (Cabeça), Wagner Liberato (Wagner), Maurício Vieira da Silva (Cabeção), Wellington Pereira de Souza (Barão), Admilson Silva de Jesus (Misinho), José Carlos Ferreira dos Santos (Olho de gato), Osmário Marques de Araújo e Tiago Pereira Silva (Tiago delegado).

Nesta madrugada, mais três suspeitos foram mortos em confronto com a PM (Polícia Militar). Agora, são nove os mortos desde o início dos ataques em Salvador, que são, segundo o secretário, uma reação à transferência do líder do bando, Cláudio Campanha, para um presídio de segurança máxima em Mato Grosso do Sul.

O governador Jaques Wagner não descarta a possibilidade de pedir ajuda federal para conter a onda de violência na cidade, que pode vir da atuação da Força Nacional de Segurança em Salvador, caso os ataques permaneçam. Entretanto, o governador baiano garante que, por enquanto, a situação está sob controle.

"É uma luta que depende de planejamento e inteligência. Já prendemos vários chefes de gangues e essa queima de ônibus desordenada para assustar a população e tentar intimidar o governo, não terá sucesso. Nós não vamos recuar e, se preciso vamos pedir apoio do governo no federal", afirmou o governador petista.

Wagner lembrou que o maior contingente de policiais da Força de Segurança Nacional é de baianos. "É gente nossa que está lá dando a sua contribuição. Portanto, se for necessário, chamo a Força de Segurança Nacional, o Exército, a Aeronáutica e quem mais for preciso. Não tenho isso de dizer que posso tudo e não peço ajuda", disse, Wagner, ao participar de um evento público.

O confronto que acabou nas três mortes de hoje aconteceu por volta das 5h, e ocorreu na rua Pinto de Aguiar, no bairro de Pituaçu, nas imediações do estádio onde a Seleção Brasileira de futebol venceu, por 4 a 2, a seleção do Chile, na noite de ontem. Um homem morreu e dois conseguiram fugir. Pouco depois a polícia encontrou outros dois suspeitos mortos no bairro de Pau da Lima, que também teriam morrido em confronto com outra equipe policial.

As investidas criminosas na noite de quarta atingiram três módulos policiais, nos bairros de Pernambués e Pau Miúdo (Largo do Tamarineiro), e um ônibus foi incendiado em Tancredo Neves.

O veículo atingido pertence à empresa São Cristóvão, e sofreu o ataque por volta das 20h30 no fim de linha do bairro de Tancredo Neves. De acordo com a Central das Polícias Militar e Civil (Centel), cerca de 20 homens encapuzados pararam o ônibus e atearam fogo ao veículo, que explodiu. O número de veículos coletivos incendiados já soma 12 - entre incêndios e tentativas - e nove módulos policiais sofreram atentados.

Inicialmente havia informações de que o motorista do coletivo tinha sido baleado e queimado, mas a 11ª Delegacia de Polícia desmentiu a informação. Também não houve vítimas na destruição dos postos da PM, já que essas unidades permanecem desativadas, por determinação do comando da PM. Os policiais foram deslocados para as rondas, nas ruas e nas viaturas.

Até agora, totalizam em 12 os ataques a coletivos - entre incêndios e tentativas - 11 a módulos policiais e nove os supostos bandidos mortos.

Bairros atingidos: Uruguai, Águas Claras, Federação, Engenho Velho da Federação, Trobogy, Mussurunga, Valéria, Ilha de São João, Fazenda Coutos, Alto de Coutos, Ribeira, Pirajá, Jaguaripe II, Fazenda Grande II, Pernambués, Largo do Tamarineiro e Tancredo Neves.

Dentro do esquema de segurança para o jogo da Seleção Brasileira, a polícia chegou a escoltar o ônibus durante o seu itinerário até o estádio. A PM também tem feito barricadas em pontos estratégicos da cidade para realizar buscas de envolvidos nos ataques.

Após o mais recente ataque a ônibus surgiram notícias de que Salvador amanheceria, nesta quinta-feira, sem transporte coletivo. Entretanto, diretores do Sindicato dos Rodoviários descartaram a retirada dos veículos de circulação, ressaltando, porém, que reconhecem a gravidade da situação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos