Chuva continua castigando SC, e cidades afetadas já somam 25% dos municípios do Estado

Ana Sachs
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizada às 20h39

O número de municípios afetados pelas chuvas em Santa Catarina não para de subir. Agora, já são 73 cidades atingidas pelo mau tempo em todo o Estado, segundo o último boletim da Defesa Estadual, divulgado às 20h00, o que equivale a quase 25% dos 293 municípios do Estado.

Após ser castigada por temporais, vendavais e três tornados no oeste do Estado, Santa Catarina sofre agora com a chuva incessante no sul, na região da fronteira com o Rio Grande do Sul, uma área a cerca de 800 km dos incidentes do início da semana. De acordo com o secretário da Defesa Civil Estadual, major Márcio Luiz Alves, as cidades de Araranguá e Praia Grande, na Bacia dos rios Araranguá e Mampituba, já estão em estado de atenção devido ao nível dos rios.

"A chuva já causou o isolamento de 105 famílias na cidade de Praia Grande. Em Araranguá, oito famílias foram retiradas devido ao risco de inundações. Quatro estão em abrigos e quatro em casas de parentes", afirmou. De acordo com a Coordenadoria Regional de Defesa Civil de Araranguá, 68 pessoas estão desabrigadas e 40 desalojadas na região.

Na cidade de Praia Grande, há três comunidades parcialmente isoladas por causa da interdição da Ponte Rio Pavão - Mãe dos Homens, Alta Esperança e Quilombola -, afetando cerca de 400 pessoas, informou boletim da Defesa Civil Estadual.

Um acesso da rodovia SC-450, que liga o Estado ao Rio Grande do Sul, está bloqueado por conta da água na pista, afirmou o major. Ele alerta ainda para o risco de isolamento da BR-101, entre Araranguá e Maracajá, o que pode dificultar o acesso ao Rio Grande do Sul.

Em Araranguá, choveu 107,8 mm nas últimas 72 horas (das 14h de quarta até as 14h de hoje), informou o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri/Ciram). Segundo a Defesa Civil da cidade, o rio Araranguá marcou 2,20 m acima do nível normal às 18h desta sexta e sobe, em média, cerca de 1 centímetro por hora.

Na tarde de ontem, o Epagri/Ciram lançou um alerta para riscos de alagamentos e deslizamentos de terra. "No sul, os rios já estão altos, o mar agitado, tudo isso favorece que ali ocorram alagamentos", explicou Daniel Calearo, meteorologista do Epagri/Ciram. As ondas chegam a 3,5 m no litoral sul e 3 m no restante do litoral, informou a Defesa Civil Estadual.

O mau tempo atinge ainda a região da bacia do Itajaí, a mesma área afetada no ano passado pelas chuvas e inundações que deixaram 135 mortos e mais de 80 mil desabrigados em Santa Catarina. Segundo o major, até o momento não há risco de inundações nessa região. "O nível de alerta é até 8 m, e em alguns lugares está em 5 m. Nossa preocupação é com deslizamentos, pois o solo já está bem encharcado nessas regiões", afirmou.

Alerta contra as chuvas

A Defesa Civil informa que qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal por meio do telefone de emergência 199 ou ao Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão para qualquer necessidade. O telefone para contato é o (48) 3244-0600



Mas, de acordo com Alves, se as chuvas continuarem intensas, "há possibilidade, sim, de inundações". "Já estamos acima da média do mês inteiro, que é de 130 mm. Em alguns lugares já chegou a 180 mm", disse.

Nessa região, até esta tarde, já estavam em nível de atenção o rio da cidade de Indaial, com 3,35 m, quando o normal é até 3 m, e o rio do município de Taió, que estava com 5,49 m, quando deveria ter até 4m. Os rios de Ibirama, Blumenau, Brusque, Timbó, Vidal Ramos e Apiúna estavam próximos do nível de atenção, apontava o Sistema de Informações da Bacia do Itajaí.

Já castigada por temporais, vendavais e três tornados nas localidades de Guaraciaba, Santa Cecília e Salto Veloso, a região oeste do Estado também continua a sofrer com a chuva incessante. "Está prejudicando o conserto dos locais afetados e aumentando os danos, porque os bens que sobraram estão sendo danificados por causa das chuvas", disse o major.

De acordo com o meteorologista Daniel Calearo, as chuvas dos últimos dias no Estado não tem relação com o fenômeno do começo da semana, que ocasionou os temporais e vendavais no Estado. "A chuva é decorrente de um sistema de baixa pressão se formando pelo sul do país, não tem nenhuma ligação com o que aconteceu no começo da semana."

Segundo Calearo, o tempo fica bastante instável e chuvoso em todo o Estado até domingo. "A chuva será mais volumosa no litoral sul de Santa Catarina e norte do Rio Grande do Sul, de hoje até domingo. No oeste, a chuva será mais fraca."

Ao todo, 106.246 pessoas foram afetadas pelo mau tempo em Santa Catarina. Já são 1.592 desabrigados, 16.642 desalojados e 286 deslocados. Quatro pessoas morreram e 173 ficaram feridas. Entre as edificações, 18.794 sofreram algum dano.

O governo do Estado pediu à União R$ 26 milhões para ajudar na reconstrução das áreas afetadas. O governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) liberou ainda, em caráter emergencial, R$ 4,5 milhões para atender os municípios atingidos na compra de materiais de contrução e recuperação de escolas. Dez mil cestas básicas estão sendo distribuídas.

Cidades atingidas por vendavais e tempestades em Santa Catarina

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos