Chuva deixa mais de 18 mil desabrigados em SC; estradas são interditadas em SC e RS

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

As chuvas no Sul do país continuam castigando principalmente os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul neste sábado (12). Em Santa Catarina, Estado atingido por tornados e temporais do começo da semana, já são 1.878 pessoas desabrigadas (que foram para abrigos públicos) e 16.634 desalojados (abrigados por familiares ou amigos), segundo o último boletim divulgado pela Defesa Civil. Mais de 106 mil pessoas foram afetadas pela chuva, quatro morreram na madrugada da última segunda-feira e 173 ficaram feridas.

Já são 75 cidades catarinenses atingidas pelo mau tempo, o que equivale a cerca de 25% dos 293 municípios do Estado.

No Rio Grande do Sul, 11 municípios decretaram situação de emergência até a sexta-feira (11): Frederico Westphalen, Itaara, Victor Graeff, Ibirubá, Porto Xavier, Santa Maria, Lavras do Sul, Seberi, Ibirapuitã, Herval e Caiçara.

Rodovias interditadas no Sul
Em Santa Catarina, na BR-101, no km 404, a água invadiu a pista no município de Maracajá e a via foi interditada. O trânsito é alternado entre os dois sentidos. Outro trecho da rodovia federal, no km 409, em Araranguá, pode ser interditado a qualquer momento, alerta a Defesa Civil.

Também estão interditados trechos de três rodovias estaduais. São eles: na SC-449, no km 29, entre Meleio a Araranguá; na SC-450, entre os km 34,8 e 35,1, entre Piritu e São João do Sul; e na SC-466, no km 71, no acesso à cidade de Itá. As interdições acontecem por ocorrência de lâmina d'agua na pista e, no caso da SC-466, por afundamento de pista e rachadura na via.

No Rio Grande do Sul, quatro rodovias foram interditadas na manhã deste sábado. Na BR 116, uma das rotas de ligação com o centro do país, a pista cedeu no km 178, na cidade de Nova Petrópolis, e interrompeu o trânsito de ônibus e caminhões nos dois sentidos da rodovia. Um desvio está sendo feito pela RS 122.

Saiba mais

  • Letícia Barbieri/Agência RBS

    Em São Sebastião do Caí, no vale do rio Caí (RS), a Defesa Civil alerta para o risco de enchente


Famílias isoladas no RS
Em São Sebastião do Caí, na região metropolitana de Porto Alegre, pelo menos 53 famílias já foram removidas de suas casas em função de alagamentos. O rio Caí, que registra 11,5 metros acima do normal, está dois metros acima do nível de segurança. O ritmo de cheia registra 18 centímetros por hora.

O chefe de operações da Defesa Civil da cidade, Jonas Bust, disse que a remoção é por segurança. "Depois que o rio sobe acima do nível de segurança fica muito mais difícil ajudar as pessoas", justificou. As famílias estão sendo alojadas no ginásio municipal e no salão paroquial. A Defesa Civil emitiu um alerta orientando os moradores a evacuar áreas de risco.

Em Canoas, a Defesa Civil entrou em alerta para auxiliar 500 famílias que moram em três locais críticos da cidade. O coordenador do órgão, Mauro Guedes, disse que 30 famílias do bairro Rio Branco, cortado pelo arroio das Garças, estão com a água a 20 centímetros de casa.

No local conhecido como Prainha de Paquetá, 59 famílias estão isoladas. O acesso é feito somente por barcos. O rio dos Sinos, que atravessa a região, está 2,4 metros acima do normal. "Se o rio subir mais 50 centímetros a situação ficará crítica", alertou Guedes. Outro ponto crítico é a rua da Boa Saúde, também no bairro Rio Branco: 20 famílias já registraram água dentro das casas.

Em Porto Alegre, os bombeiros removeram seis famílias ilhadas no bairro Ponta Grossa, na zona sul. O arroio Passo da Estiva transbordou e invadiu as residências por volta das 4h. Os soldados usaram um bote no resgate.

Chuvas agora atingem sul de SC
O temporal, que atingiu com mais força o oeste de Santa Catarina no começo da semana, agora se intensifica na região sul do Estado. A situação é mais crítica em Araranguá. Segundo a Defesa Civil, 53 famílias dos bairros Barranca e Baixadinha já foram removidas de casa devido à cheia do rio Araranguá. Os dois abrigos escolhidos pela prefeitura já estão lotados. Com a chuva, o rio está 2,6 metros acima do nível normal.

As cidades de Ermo e Praia Grande, na mesma região, também estão com famílias em zonas de risco. Em Praia Grande, uma comunidade está isolada. O major Emerson Emerin, da Defesa Civil de Santa Catarina, disse que a situação também está se agravando em Florianópolis e em Guaraciaba, na região oeste. Esta última cidade, que decretou situação de calamidade pública, foi a mais afetadas pelos temporais.

* Com informações de Flávio Ilha, em Porto Alegre

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos