Defesa Civil mantém alerta para nível de rios no RS; rio Uruguai passa de 10 metros

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Apesar de ter parado de chover na região Sul do país, o que ajudou a escoar os alagamentos, alguns rios do Rio Grande do Sul seguem com nível acima do normal. Em São Borja, fronteira oeste do Rio Grande do Sul, o rio Uruguai ultrapassou os 10 metros nesta terça-feira (15). A Defesa Civil Estadual informou que o alerta na cidade é disparado quando o rio atinge 9,5 metros.
  • Apesar das constantes tragédias climáticas, os governos continuam desembolsando mais recursos com ações pós-desastres do que com medidas preventivas. O governo federal, fonte de verba para todo território nacional, gastou apenas 13% do orçamento autorizado para "prevenção e preparação para emergências e desastres" este ano



Na mesma região, em Itaqui, o rio chegou a 8,9 m, mais de dois metros acima da cota de alerta. Em outro trecho do rio, em Lajeado, no noroeste do Estado, o alerta é de 19 m e o nível das águas está em 15 m.

Já o rio Caí está quase 5 m acima do nível de alerta em São Sebastião do Caí, com 9,56 m.

Outros rios que também estão acima do nível de alerta são o rio dos Sinos (6,4 m), em São Leopoldo, o rio Gravataí (4,18 m), no Banhado Grande, o rio Gravataí (3,91 m), em Alvorada, o rio Guaíbas (2,45), nas Ilhas de Pavão, Flores, Marinheiros e Pintada, e o rio Jacuí (14,09 m), no Rio Pardo.

Ao todo, 41 cidades gaúchas foram atingidas pelas chuvas na semana passada e 14 decretaram situação de emergência. O último balanço da Defesa Civil do Estado, divulgado hoje, aponta que há 2.733 desabrigados, 2.281 desalojados, 4.604 residências com estragos provocados pelas tempestades e 70 casas completamente destruídas.

No Paraná, ainda há 130 desabrigados e 630 desalojados.

Já em Santa Catarina, o tempo mais seco fez com que as famílias atingidas pela chuva começassem a voltar para casa. Segundo o balanço mais recente da Defesa Civil Estadual, divulgado na tarde de hoje, os desalojados caíram de 10.115 para 9.765. Ainda há 1.881 pessoas desabrigadas nas 80 cidades afetadas pela chuva. O número de municípios em situação de emergência subiu para 71.

O governador do Estado, Luiz Henrique da Silveira (PMDB), pretende entregar hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva um relatório sobre os estragos na região elaborado pela Defesa Civil Estadual.

O documento aponta um prejuízo total de R$ 211,8 milhões, sendo R$ 157,4 milhões por danos materiais em edificações, R$ 8,17 milhões por danos ambientais, R$ 20,3 milhões por prejuízos econômicos na agricultura, pecuária, indústria e serviços e ainda R$ 25,9 milhões por prejuízos no abastecimento de água e luz, transportes, saúde, educação, alimentos básicos e outros.

O relatório, baseado nas notificações preliminares de desastres dos municípios afetados, calcula ainda que 1.376.400 pessoas foram atingidas pela chuva no Estado.

O governador também quer se reunir com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para falar da verba que será destinada a Santa Catarina. A pasta já liberou extraoficialmente R$ 26 milhões para socorro e atendimento às vítimas.

Chuvas devem voltar
A previsão é de que as pancadas de chuva voltem ainda hoje. Segundo os meteorologistas da Somar, áreas de instabilidade podem provocar pancadas de chuva no norte e oeste do Paraná, oeste de Santa Catarina e noroeste do Rio Grande do Sul.

À noite, a previsão é de temporais, com acumulado de mais de 30 mm em seis horas, entre o extremo oeste de Santa Catarina, extremo noroeste do Rio Grande do Sul e nordeste da Argentina.

Já no centro e leste da região, a terça-feira segue com tempo seco e sol entre nuvens. A temperatura máxima varia entre 20°C e 22°C no centro e leste catarinense e leste paranaense, entre 26°C e 28°C no centro e leste gaúchos e alcança 30°C no noroeste do Paraná.

A frente fria deve chegar de vez na quarta-feira (16). Mas a previsão é de que os temporais no Sul sejam menos intensos do que os registrados na semana passada. O tempo permanece seco, sem chuvas, apenas no sul do Rio Grande do Sul, leste e norte do Paraná e litoral de Santa Catarina.

Na quinta-feira, a previsão é de um dia completamente fechado e chuvoso em boa parte do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. No Paraná, persistem as pancadas de chuva de fim de tarde.

Os meteorologistas da Somar também alertam para rajadas de vento de até 70km/h e risco de queda de granizo. As ondas variam entre 1,5m e 1,8m ao longo da costa do Rio Grande do Sul.

Cidades atingidas por vendavais e tempestades em Santa Catarina

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos