Governador de SC pede R$ 212 milhões a Lula para cobrir prejuízos provocados pela chuva

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizado às 21h42

O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB), entregou nesta terça-feira (15) ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva um relatório sobre os estragos na região elaborado pela Defesa Civil Estadual.
  • Apesar das constantes tragédias climáticas, os governos continuam desembolsando mais recursos com ações pós-desastres do que com medidas preventivas. O governo federal, fonte de verba para todo território nacional, gastou apenas 13% do orçamento autorizado para "prevenção e preparação para emergências e desastres" este ano



O documento aponta um prejuízo total de R$ 211,8 milhões, sendo R$ 157,4 milhões por danos materiais em edificações, R$ 8,17 milhões por danos ambientais, R$ 20,3 milhões por prejuízos econômicos na agricultura, pecuária, indústria e serviços e ainda R$ 25,9 milhões por prejuízos no abastecimento de água e luz, transportes, saúde, educação, alimentos básicos e outros.

O relatório, baseado nas notificações preliminares de desastres dos municípios afetados, calcula ainda que 1.376.400 pessoas foram atingidas pela chuva no Estado.

Durante a criação da Universidade da Fronteira Sul, em Brasília, o governador ouviu do ministro da Educação, Fernando Haddad, um compromisso de "sentar com o secretário da Educação para estabelecer um plano de trabalho para a recuperação das escolas de Santa Catarina".

Na manhã de hoje, Luiz Henrique se reuniu com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, e cerca de 20 prefeitos do Estado. No encontro, o ministro anunciou a liberação de R$ 75 milhões, destinados na forma de créditos aos agricultores que perderam a produção. Com o limites de R$ 100 mil, os empréstimos têm juros de 2% ao ano, com carência de três anos e prazo de dez. Outros R$ 100 milhões foram destinados, segundo o governo do Estado, para atender aos pequenos agricultores que não contrataram seguro rural.

Em Brasília, o governador se reuniu também com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para falar da verba que será destinada a Santa Catarina. A pasta autorizou a liberação de R$ 26 milhões para socorro e atendimento às vítimas.

"Já garanti ao governador Luiz Henrique que os recursos serão liberados assim que os planos de trabalho, enviados esta semana pelo Estado, forem analisados e aprovados pela Defesa Civil Nacional", informou o ministro, logo após a reunião.

As áreas afetadas já receberam, ainda, R$ 19,5 milhões do governo de SC, conforme levantamento da Defesa Civil Estadual.

O valor mais significativo, de R$ 15 milhões, foi investido pela Celesc, na região do extremo-oeste, para recuperação das linhas de transmissão prejudicadas pelo mau tempo. Além destes recursos, o governador Luiz Henrique liberou na última quinta-feira (10), durante visita a Guaraciaba, R$ 2 milhões para a reconstrução de quatro escolas do município.

A Defesa Civil disponibilizou mais R$ 2,5 milhões do Fundo Estadual para atender obras emergenciais, contratar serviços, compra de materiais de construção, água e alimentos. Desta quantia, o órgão estadual já repassou R$ 1,05 milhão às Secretarias Regionais de São Miguel do Oeste (R$ 250 mil), Xanxerê (R$ 200 mil), Dionísio Cerqueira (R$ 200 mil), Caçador (R$ 200 mil) e Araranguá (R$ 200 mil).

Situação nos Estados
Ao todo, 41 cidades gaúchas foram atingidas pelas chuvas na semana passada e 14 decretaram situação de emergência. O último balanço da Defesa Civil do Estado, divulgado hoje, aponta que há 2.733 desabrigados, 2.281 desalojados, 4.604 residências com estragos provocados pelas tempestades e 70 casas completamente destruídas.

No Paraná, a chuva afetou 59 cidades, e 5 decretaram situação de emergência. Foram afetadas 31.773 pessoas, das quais 2.732 ficaram desalojadas e 140 desabrigadas.

Já em Santa Catarina, o tempo mais seco fez com que as famílias atingidas pela chuva começassem a voltar para casa. Segundo o balanço mais recente da Defesa Civil Estadual, divulgado na tarde de hoje, os desalojados caíram de 10.115 para 9.765. Ainda há 1.887 pessoas desabrigadas nas 82 cidades afetadas pela chuva. O número de municípios em situação de emergência subiu para 74.

Chuvas devem voltar
Na noite desta terça-feira, a previsão é de temporais, segundo os meteorologistas da Somar, com acumulado de mais de 30 mm em seis horas, entre o extremo oeste de Santa Catarina, extremo noroeste do Rio Grande do Sul e nordeste da Argentina.

A frente fria deve chegar de vez na quarta-feira (16). Mas a previsão é de que os temporais no Sul sejam menos intensos do que os registrados na semana passada. O tempo permanece seco, sem chuvas, apenas no sul do Rio Grande do Sul, leste e norte do Paraná e litoral de Santa Catarina.

Na quinta-feira, a previsão é de um dia completamente fechado e chuvoso em boa parte do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. No Paraná, persistem as pancadas de chuva de fim de tarde.

Os meteorologistas da Somar também alertam para rajadas de vento de até 70km/h e risco de queda de granizo. As ondas variam entre 1,5m e 1,8m ao longo da costa do Rio Grande do Sul.

Cidades atingidas por vendavais e tempestades em Santa Catarina

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos