Funcionários em greve e Correios devem negociar hoje reajuste salarial

Fabiana Uchinaka
Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizada às 15h42

Os funcionários dos Correios estão em greve por tempo indeterminado desde a 0h desta quarta-feira (16). Até o momento, 33 dos 35 sindicatos regionais ligados à Fentect (federação nacional dos trabalhadores dos Correios) haviam aderido à paralisação. Os sindicatos de Uberaba (MG) e Roraima devem realizar assembleias ainda hoje. A empresa tem 116 mil trabalhadores em todo o país.

Segundo o coordenador do Comando de Negociação da Fentect, Emerson Vasconcelos da Silva, os sindicatos aguardam a posição da empresa para decidir quais serão os próximos passos. Os Correios informaram que uma nova proposta será apresentada hoje em reunião entre os sindicalistas e a direção da empresa marcada para as 11h.

Os servidores pedem reajuste salarial de 41,03%, para recompor perdas desde 1994, e reajuste linear de R$ 300. Os Correios haviam proposto na última rodada de negociação um aumento de 4,5%, que foi rejeitado por todos os sindicatos regionais.

A empresa alega que se fossem atendidas as reivindicações dos trabalhadores "apenas as cláusulas econômicas da pauta custariam aos Correios cerca de R$ 54 bilhões por ano, valor quase cinco vezes maior que toda a receita anual da empresa".

A pauta da Fentect também reivindica redução da jornada de trabalho sem redução de salário, fim da terceirização, auxílio creche e educação, contratação de mais servidores e reintegração dos servidores demitidos, participação nos lucros no acordo coletivo, entregas de correspondência no período da manhã e fim dos assédios morais e sexuais.

Os Correios explicam que ainda não dá para prever o impacto da greve nas entregas e calcula que apenas 8% dos funcionários parou de trabalhar até o momento. A Fentect não confirma essa informação e diz que ainda não é possível calcular a adesão.

A empresa diz ainda que o plano de contingenciamento prevê que funcionários sejam remanejados e que entregas urgentes sejam priorizadas. Novas ações para evitar atrasos nas entregas durante a greve serão decididas na reunião de hoje.

A paralisação da categoria ameaça a entrega de cartas, documentos e contas a partir de hoje, principalmente de encomendas comerciais, boletos bancários e contas de serviços públicos.

As entregas poderão atrasar. A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) recomenda que os clientes entrem em contato com as empresas para solucionar possíveis atrasos nos boletos bancários. A entidade sugere o envio do boleto por fax ou e-mail e o pagamento de contas pela internet ou pelo caixa eletrônico.

Os bancos não se responsabilizam pelas multas aplicadas em caso de atraso no pagamento, porque, segundo eles, são as empresas que definem as cobranças.

São Paulo
Os trabalhadores dos Correios no Estado de São Paulo realizam hoje às 19h uma assembleia para definir o rumo das greves da categoria. Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos de São Paulo (Sintect-SP) Adroaldo Negreiros, 70% dos funcionários das áreas de distribuição, tratamento e transporte paralisaram as atividades.

"Queremos um aumento real linear de R$ 300, além de auxílio-educação para mulheres e auxílio-creche para homens", afirmou Negreiros. Em greve desde o início da manhã de hoje, os trabalhadores reivindicam ainda o parcelamento das perdas salarias desde 1994. "Queremos que aumentem nosso tíquete-refeição para R$ 25", completou o diretor. Atualmente, o valor é R$ 20 por dia.

*Com informações da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos