RS e SC alertam para risco de temporais, granizo e rajadas de vento

Do UOL Notícias
Em São Paulo

As pancadas de chuva devem voltam a Santa Catarina e ao Rio Grande do Sul nesta quarta-feira. Os meteorologistas da Somar alertam para a formação de um fenômeno conhecido como Complexo Convectivo de Mesoescala (CCM) sobre a região, que deve provocar rajadas de vento, trovoadas, chuvas intensas e queda de granizo.

No RS, a chuva deve ficar concentrada no norte e no noroeste. Já em SC, no oeste, meio-oeste e no litoral sul. O fenômeno deve acontecer de forma rápida e durante a madrugada. Por enquanto, apesar das indicações de descargas elétricas na região, não foram registrados eventos extremos.

Mesmo com as chuvas, ainda faz calor e a temperatura máxima alcança os 27°C em boa parte da região Sul.

A Defesa Civil do RS recomenda que os moradores de áreas próximas a rios redobrarem os cuidados e evitem locais sem proteção contra raios e ventos fortes, áreas de alagamentos ou morros, barreiras e outros locais com risco de deslizamentos de encostas.

Em caso de granizo e raios, a orientação é para que as pessoas se protejam sob coberturas fortes, fechem janelas e portas e não usem equipamentos elétricos ou telefone.

Para evitar doenças como leptospirose, hepatite, febre tifóide e diarréia, a população dos locais atingidos por enchentes devem redobrar seus cuidados em relação ao consumo de água, manuseio de alimentos, asseio e higiene em geral, diz a Secretaria Estadual de Saúde. Quando as águas baixarem e as famílias retornarem às residências é preciso limpar e desinfetar com água sanitária (na proporção de uma xícara para cada cinco litros de água) o piso, as paredes, os objetos e as roupas atingidas, usando luvas e botas de borracha.

Há um alerta também para insetos e animais peçonhentos que podem ter buscado refúgio na residência durante a cheia.

Situação nos Estados
Ao todo, 41 cidades gaúchas foram atingidas pelas chuvas na semana passada e 23 decretaram situação de emergência. O último balanço da Defesa Civil Estadual aponta que há 2.733 desabrigados, 2.281 desalojados, 4.604 residências com estragos provocados pelas tempestades e 70 casas completamente destruídas.

No Paraná, a chuva afetou 59 cidades, e 5 decretaram situação de emergência. Foram afetadas 31.773 pessoas, das quais 2.732 ficaram desalojadas e 140 desabrigadas. Ao todo, 3.848 casas sofreram algum tipo de prejuízo e 17 chegaram a ficar destruídas.

Já em Santa Catarina, o tempo mais seco fez com que as famílias atingidas pela chuva começassem a voltar para casa. Segundo o balanço mais recente da Defesa Civil Estadual, os desalojados caíram de 10.115 para 9.765. Ainda há 1.887 pessoas desabrigadas nas 82 cidades afetadas pela chuva. O número de municípios em situação de emergência subiu para 74.

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, deve visitar hoje a cidade de Porto Alegre para verificar os danos provocados pelas chuvas e inundações no Rio Grande do Sul. Logo em seguida, irá sobrevoar as áreas mais atingidas pelas fortes chuvas nos últimos dias, junto com a governadora Yeda Crusius.

Cidades atingidas por vendavais e tempestades em Santa Catarina

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos