Médicos da rede pública de BH entram em greve por tempo indeterminado

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

Após assembleia realizada na manhã desta sexta-feira (18), os médicos que trabalham na rede pública municipal de saúde de Belo Horizonte decidiram entrar em greve por tempo indeterminado.

Vacinação contra poliomielite acontece neste sábado em todo o Brasil

Pais de crianças com menos de cinco anos devem levar seus filhos aos postos de saúde de todo o país neste sábado (19) para tomar a vacina contra a poliomielite, doença que causa a paralisia infantil. Esta é a segunda fase da campanha de vacinação em 2009, e tanto as crianças que já tomaram a vacina neste ano quanto as que não tomaram devem receber a segunda dose no fim de semana.


Segundo o sindicato dos médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), somente o atendimento de urgência e emergência será mantido para a população. A entidade adiantou, entretanto, que os médicos irão participar normalmente da segunda fase da campanha de vacinação contra a poliomielite, marcada para ocorrer neste sábado (19).

Os médicos vinham desde o dia 14 deste mês fazendo paralisações pontuais. Por meio de nota, o sindicato divulgou que a participação na campanha de amanhã é "uma demonstração de respeito e atenção à população".

O presidente da representação da categoria, Cristiano da Matta Machado, afirmou que a prefeitura se nega a atender às reivindicações da classe. "Nós estamos reivindicando 26% de reajuste salarial e melhoria nas condições de trabalho. Sistematicamente estamos denunciando as precárias condições aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) e aos profissionais médicos. Faltam medicamentos, equipamentos e, principalmente, recursos humanos", disse à reportagem do UOL Notícias.

Em meio à campanha de vacinação e aos casos de gripe suína, Machado nega que o momento seja inadequado para deflagrar a greve. "A gripe suína está nesse momento apresentando um refluxo, ela já está mais controlada. Os casos mais graves serão normalmente atendidos nas unidades de urgência e emergência. Em relação à vacinação (poliomielite), nós vamos trabalhar normalmente", afirmou.

Um grupo de representantes do movimento aguardava para ser atendido na Secretaria Municipal de Planejamento e negociar com o titular da pasta, Helvécio Magalhães.

Enfermeiros em greve
Além dos médicos, desde o último dia 9 deste mês, os profissionais da área de saúde de Belo Horizonte também estão em greve. De acordo com a presidente do Sindibel (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte), Célia Lelis Monteiro, o movimento atinge 70% das unidades de saúde vinculadas à prefeitura.

"Os 30% restantes se referem a pessoal que trabalha em unidades de urgência e emergência, que estão funcionado em escala mínima", explicou. A questão salarial é a principal reivindicação, aponta a presidente.
"Queremos um aumento salarial de 26%, porque foi o reajuste que foi concedido ao prefeito e ao seu secretariado, em 1º de janeiro deste ano (data na qual o prefeito Marcio Lacerda assumiu o cargo)".

Da mesma forma que os médicos, o sindicato dos servidores garantiu que os funcionários também irão participar da campanha de vacinação programada para amanhã.

Prefeitura atenua movimento e garante vacinação contra poliomielite
O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB) havia dito à reportagem do UOL Notícias, no início da greve dos servidores, que o movimento não o preocupava porque os atendimentos de emergência e urgência estavam mantidos e que a adesão era pequena.

"Nós já cedemos tudo o que tínhamos para ceder. Até sacrificando investimento em outras áreas para atender a demandas (reivindicações dos grevistas) que consideramos justas", disse.

O prefeito considerou que alguns pleitos dos servidores não são passíveis de serem acatados pela administração pública. "Algumas reivindicações são impossíveis de atender, por exemplo, conceder tíquete refeição e vale-transporte durante licença médica", explicou.

Lacerda afirmou ainda que não negociará enquanto o movimento grevista for mantido. Segundo dados atualizados nesta sexta-feira pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, a adesão ao movimento grevista registrou média diária de 19,3% dos servidores.

Para amanhã, a prefeitura confirmou que 421 postos estarão abertos para receber crianças menores de 5 anos para receberem imunização contra a poliomielite. Segundo a secretaria de Saúde, aproximadamente 3.500 profissionais vão estar envolvidos na campanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos