Cadeirantes do DF "multam" estabelecimentos e motoristas que não respeitam acessibilidade

Gilberto Costa
Da Agência Brasil
Em Brasília

Para marcar a passagem do Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, o empresário Ronald Carvalho, portador de esclerose múltipla e cadeirante, resolveu chamar a atenção de comerciantes e condutores para a urgência de garantir e respeitar a acessibilidade nas ruas da capital federal.

Ele está percorrendo as quadras comerciais 404/405 sul, chamada de Rua dos Restaurantes por causa do número de estabelecimentos, e entregando aos comerciantes que ainda não instalaram rampa de acesso na porta de suas lojas, ou que não mantêm banheiro próprio para pessoa com deficiência.

Do primeiro bar que "autuou", Ronald Carvalho reclamou do banheiro no subsolo. "Eu sou homem e com ajuda dou um jeito e uma cadierante mulher, como é que faz?", perguntou. Para Ronald, "o empresário tem que enxergar, são coisas simples, fazer uma calçada um rebaixamento é fácil., só precisa de cimento e boa vontade".

Ronald aponta para um tradicional restaurante da capital e comenta: "esse restaurante é maravilhoso, mas eu não posso frequentar porque ele não tem acesso. Aí o empresário tá deixando de ter o meu faturamento, o da minha esposa e o dos meus amigos. A gente viria para cá e não pode".

O estudante e nadador, Kalleb Lopes Menezes, concorda com o empresário, reclama do constrangimento de ter que pedir ajuda e elogia quem facilita o acesso. "Na academia em que eu malho eles botam uma rampa de madeira e tiram quando eu saio. O legal é que eles se importam comigo".

A "notificação cidadã" distribuída pelos cadeirantes, sem validade legal, alerta: "constatamos que sua empresa não oferece condições adequadas para receber clientes com deficiência. Acessibilidade em locais abertos ao público é lei e uma questão de visão empresarial".

Além dos comerciantes, os cadeirantes tentam conscientizar os maus motoristas de Brasília que estacionam nas vagas reservadas para pessoas com deficiência. Quem é flagrado ocupando a vaga indevida recebe uma "multa cidadã" onde pode ler: "cometeu uma grave infração e desrespeitou às pessoas que, por direito, fazem uso da referida vaga".

A partir do dia 1º de outubro talões de notificação e multa poderão ser pedidos na internet no site www.movimentolivre.org.br.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos