Criminosos ameaçaram cortar os dedos de reféns em prédio da zona sul do Rio

André Naddeo e Juliana Kalil
Do UOL Notícias
No Rio de Janeiro

Os criminosos que fizeram um arrastão em um prédio em Copacabana, zona sul do Rio, ameaçaram moradores na manhã desta terça-feira (29). Pelo menos duas pessoas ficaram feridas.

Moradores relatam desespero

"Os bandidos ficavam ameaçando a gente a todo o tempo. Ameaçavam cortar o nosso dedo", afirmou Ruth Salgado, moradora do primeiro andar.

Quinze policiais militares e uma equipe do Bope (Batalhão de Operações Especiais) cercaram o local em busca dos três assaltantes que invadiram o prédio. Os suspeitos fugiram e a polícia continua sem pistas dos criminosos.

Trinta moradores ficaram reféns até os criminosos fugirem, de acordo com a Polícia Militar.

Segundo o coronel Sérgio Alexandre, do 23º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, assaltantes chegaram ao prédio por volta das 7h45 da manhã desta terça-feira. O primeiro suspeito a chegar estava vestido com a roupa da CEG (Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro). Ele disse para o porteiro que ia fazer a medição do gás do prédio. Por isso, o porteiro liberou a entrada dele.

Assim que entrou, o suspeito rendeu o porteiro e abriu passagem para os outros dois comparsas entrarem no prédio. O porteiro foi agredido com um tapa no rosto. Ainda de acordo com a Polícia Militar, o trio estava armado. A PM foi acionada por moradores às 9h.

Policiais militares fizeram buscas para tentar capturar os três assaltantes, mas eles fugiram.

Os policiais afirmaram ainda que os criminosos fizeram trinta reféns, que foram deslocados para o apartamento do engenheiro Elias Mansur, no primeiro andar. Alguns ficaram no quarto e outros, no banheiro do apartamento.

Além do porteiro, os assaltantes agrediram com um soco no rosto um pedreiro que trabalhava no apartamento de Mansur.

O prédio invadido fica na rua Francisco Otaviano, número 92, em Copacabana. A rua foi interditada por cerca de 20 minutos e provocou trânsito em Ipanema e Copacabana. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio), a operação policial causou reflexos no trânsito da Avenida Vieira Souto em ambos os sentidos e na Av. Rainha Elizabeth, que liga Ipanema e Copacabana.

Foram enviados para o local dez carros da PM, da Polícia Civil e do Bope. Foram acionadas ainda uma viatura do Corpo de Bombeiros e uma do Samu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos