SC confirma primeira morte em razão das chuvas; frio agrava situação dos desabrigados no RS

Guilherme Balza e Flávio Ilha
Do UOL Notícias
Em São Paulo e em Porto Alegre

Atualizado às 13h49

  • Nereu de Almeida/Ag.RBS

    O Rio Grande do Sul teve frio de quase zero grau na madrugada. Em Bagé, a estação do Inmet apontou mínima de 0,7ºC. Fez frio também em Alegrete, Jaguarão, Quaraí, Santiago, Santana do Livramento, São José dos Ausentes e Uruguaiana, com temperaturas de 2ºC. Canela, Chuí e São Gabriel tiveram 3ºC. Na foto, Caxias do Sul teve 4ºC durante a manhã


A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou a morte um homem de 30 anos em decorrência das chuvas que atingiram a região Sul nos últimos dias. Clóvis Roberto Belin, 30, atravessava uma ponte alagada com seu carro e foi arrastado pela correnteza nessa segunda-feira (28), em Campo Belo do Sul. Bombeiros de Lages foram acionados, mas localizaram Belin já sem vida.

Com esta morte, já são dois óbitos confirmados na região Sul nos últimos dias. No domingo, na serra gaúcha, um homem morreu dentro de seu carro quando foi colhido pelas águas num acesso secundário à cascata do Caracol, em Canela.

Dois homens que foram arrastados pela correnteza da barragem do Salto, que transbordou, continuam desaparecidos. Eles sumiram no domingo (27) depois que se refugiaram sobre a cabine do caminhão em que trafegavam no limite entre as cidades de Canela e São Francisco de Paula.

Em Santa Catarina há 3.505 desabrigados (abrigados em locais públicos) e 3.555 desalojados (alojados em casas de amigos e parentes). No total, 85.036 pessoas foram direitamente prejudicadas pelas chuvas, ventos e granizos e 6.792 casas destruídas, entre residências particulares, comércios e prédios públicos. As regiões mais atingidas são o Oeste e o Litoral Sul do Estado.

Já decretaram situação de emergência 20 municípios: Abdon Batista, Angelina, Antônio Carlos, Balneário Gaivota, Biguaçu, Bom Retiro, Calmon, Chapadão do Lageado, Chapecó, Dona Emma, Governador Celso Ramos, Laurentino, Leoberto Leal, Presidente Castello Branco, Salete, Santa Rosa do Sul, Santa Terezinha, São Cristovão do Sul, Santo Amaro da Imperatriz e Vidal Ramos. No total, 60 municípios foram atingidos.

O Centro de Informações Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) analisa se o fenômeno que atingiu o litoral sul do Estado foi um tornado. "Não há como confirmar se foi um tornado. O que ocorreu foi uma frente fria que trouxe ventos fortes e granizo. Isso é comum na primavera em Santa Catarina", diz o meteorologista Daniel Calearo, do Ciram.

A chuva forte dá uma trégua para o Estado entre esta terça (29) e parte da quarta-feira (30), mas a nebulosidade e a condição de chuva fraca permanecem presentes na maioria das regiões, o que mantém o solo úmido. Entre a noite de quarta e a quinta-feira (1º), a instabilidade se intensifica e volta a ocorrer chuva moderada a forte com trovoadas no Estado, permanecendo o tempo instável até a manhã de sexta-feira (2).

Segundo o Ciram, a chuva forte dará uma trégua entre hoje e amanhã durante o dia. A partir da noite de quarta-feira (30), a instabilidade se intensifica e pode ocorrer chuva moderada a forte. O tempo começa a firmar na tarde de sexta-feira, mas no domingo a previsão é de chuva forte - que pode superar a média do mês em alguns municípios -, com possibilidade de granizo e vendavais, no período da noite, entre o norte do RS e o sul de SC.

Na BR-280, em Mafra, no planalto norte, a pista foi interditada às 19h de ontem, na altura do km 164, após uma faixa e o acostamento cederem. O trânsito foi desviado no local para os automóveis. Os caminhões são obrigados a seguir por São Bento.

Entre o km 71 e o km 72 da SC-466, que liga Santa Catarina ao Rio Grande do Sul, houve um afundamento do asfalto com deslizamento e rachaduras da pista, segundo a Defesa Civil. O trânsito de veículos foi desviado para o centro da cidade de Itá. Não há previsão para o fim da recuperação da pista, nem para a liberação trânsito no local.

Na SC-430, na altura dos km 46 e km 51, trânsito é realizado em meia pista no sentido Urubici-São Joaquim, devido à queda de barreira. Na SC-450, na altura do km 35, há uma lâmina de água de aproximadamente 15 cm de altura e com uma extensão de 70 m.

A Defesa Civil de Santa Catarina alerta a população que mora em regiões de risco a ficar atenta a possíveis movimentações de rochas, árvores e terra, sobretudo em regiões de encosta. Caso haja alguma anormalidade, o Defesa Civil deve ser contactada no (48)3244-0600 ou o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Rio Grande do Sul
Nem uma trégua na chuva que caiu no Rio Grande do Sul durante o fim de semana e na segunda-feira (28) amenizou a situação dos 6.500 desabrigados ou desalojados pelos temporais. Na madrugada desta terça-feira (29), a temperatura despencou no Estado - algumas regiões, como a Campanha e a Serra, registraram frio próximo a zero grau.

A queda acentuada na temperatura manteve em alerta o serviço de Defesa Civil do Estado, que computou um total de 45 mil pessoas afetadas pela chuva do final de semana. Segundo balanço da Defesa Civil, 7.800 casas foram danificadas e 166 totalmente destruídas pela ocorrência de granizo. Vinte e cinco cidades foram atingidas.

A Defesa Civil começou a distribuir cobertores e lonas plásticas para amenizar a situação dos desabrigados, que estão alojados em casas de família ou em ginásios municipais. Até a noite de segunda-feira, 12 municípios haviam decretado situação de emergência no Estado em função das cheias de rios e barragens.

A situação mais grave foi registrada em Constantina, região norte do Estado, onde mais de mil casas sofreram danos com o granizo e com o vento forte. O hospital da cidade teve o telhado destruído, o que obrigou a transferência dos 15 pacientes internados para casas de saúde da região. Em outros municípios, como Venâncio Aires, os danos atingiram cerca de 700 casas.

Nesta manhã, o nível dos rios das regiões mais afetadas começou a baixar desde que a chuva deu uma trégua. Nas cidades de Igrejinha, Três Coroas e Taquara, algumas famílias começaram a retornar para suas casas com a vazão menor do rio Paranhana. O rio dos Sinos, na região metropolitana de Porto Alegre, também começou a baixar.

A chuva provocou danos também em estradas gaúchas. Na serra, a Rota do Sol (RS-486) foi interditada mais uma vez em função de queda de barreiras. O trecho bloqueado fica entre Tainhas e Terra de Areia, na localidade da serra do Pinto. A BR-116 também segue com tráfego interrompido no quilômetro 178, na cidade de Nova Petrópolis. Em São Vendelino, a RS-122 também está interrompida em meia pista devido à erosão.

A meteorologia prevê frio mais intenso para a madrugada de quarta-feira (30). As mínimas devem ficar abaixo dos 5ºC nas principais regiões, especialmente na serra e no sul do Estado. Em Porto Alegre, a temperatura pela manhã deve ficar abaixo dos 4ºC. No norte e no oeste, a previsão é de mais chuva. Na quinta-feira (1º), o mau tempo deve se espalhar por todo o Rio Grande do Sul com possibilidade de chuva forte em áreas isoladas.

Paraná
Os temporais, as chuvas de granizo e os vendavais afetaram diretamente 2.423 pessoas em 25 municípios paranaenses. Há no Estado 237 desalojados e 15 desabrigados. Ao menos 788 casas sofreram algum tipo de dano.

Segundo a Defesa Civil do Paraná, estão em situação de emergência os municípios de Bituruna, General Carneiro, Marmeleiro, Pinhal de São Bento, Pranchita, Prudentópolis, Renascença e Santo Antonio do Sudoeste.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos