Juiz desiste de soltar presos em Jundiaí

Arthur Guimarães
Do UOL Notícias
Em São Paulo

O Tribunal de Justiça (TJ) informou nesta quinta-feira (29) que o juiz Jefferson Torelli, da Vara de Execuções Criminais de Jundiaí, em São Paulo, suspendeu os efeitos da liminar que programava para hoje a liberação de todos os presos da Cadeia Pública da cidade. Segundo a assessoria do TJ, o magistrado desistiu da ação após constatar que, nas últimas semanas, as autoridades paulistas começaram a esvaziar o local, "transferindo mais de 60 presos".

O imbróglio começou no dia 8 de outubro. Na ocasião, Jefferson acolheu um requerimento do Ministério Público que pedia a interdição do local. Em seu despacho, ele citou que o espaço estava com quase quatro vezes mais detentos do que o previsto. "A situação é tão grave que, recentemente, alguns presos formalizaram requerimento invocando normas da lei de Meio Ambiente, argumentando que o Estado dá tratamento mais benevolente às bestas e feras da fauna silvestre do que aos miseráveis seres humanos lá recolhidos", dizia o texto assinado pelo juiz.

Dada a situação, o magistrado pedia a remoção dos presos no prazo de 72 horas, assim como a remoção das presas da cadeia pública de Itupeva, que estaria em condições similares. Na mesma liminar, o juiz dizia que, caso não fossem cumpridos seus pedidos, estava "concedida de ofício ordem liminar de habeas corpus de todos os presos, cabendo à zelosa Serventia expedir alvarás de soltura por habeas corpus a todos, a partir das 0 (zero) horas de 29 de outubro."

Hoje, data limite para a decisão, Jefferson não foi encontrado para dar entrevistas. Segundo a assessoria do TJ, ele não quer falar com a imprensa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos