PMs envolvidos na morte de coordenador do AfroReggae responderão por latrocínio

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Presos sob suspeita de não terem prestado socorro ao coordenador do grupo AfroReggae, morto a tiros no dia 18 no centro do Rio de Janeiro, os dois policiais militares envolvidos no caso vão responder também pelo crime de latrocínio, afirmou nesta quinta-feira (29) o delegado José Luis Duarte.

Depois de Evandro João da Silva, 42, ser alvejado por bandidos, o capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira Salles foram flagrados em vídeo, indiferentes à agonia do ativista social. Mais tarde, eles liberaram os suspeitos de matar Evandro e guardaram no carro da polícia uma jaqueta e um par de tênis que pertenciam à vítima.

"Desde o momento em que os dois [os policiais e os assaltantes] estejam de comum acordo para praticar o latrocínio, independentemente de quem atirou, os dois vão responder pelas penas de 20 a 30 anos", afirmou o delegado José Luis Duarte a jornalistas.

O governador Sérgio Cabral mandou exonerar o relações-públicas da Polícia Militar do Rio de Janeiro, major Oderlei Santos, depois de ele minimizar a a ação dos policias militares que liberaram os assassinos do coordenador do AfroReggae.

O incidente com Evandro aconteceu ao mesmo tempo em que foi detonada uma onda de violência no Rio de Janeiro, após grupos traficantes rivais reiniciarem a disputa pelo controle do Morro dos Macacos, na zona norte da cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos