Após buscas durante a madrugada, avião da FAB continua desaparecido na Amazônia

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Em nota na manhã desta sexta-feira (30), o Comando da Aeronáutica informa que as buscas ao avião C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira (FAB), desaparecido desde ontem (29) com 11 pessoas a bordo, prosseguiram durante toda a madrugada com a ajuda de um helicóptero do Exército e a aeronave de reconhecimento R-99, que possui um sensor para varredura térmica. Este modelo foi usado nas buscas pelo avião da Air France que caiu no oceano Atlântico no mês de maio. No entanto, o órgão informa que não foram encontrados sinais da aeronave até o momento.

As buscas prosseguem hoje, segundo a Aeronáutica. Neste momento, sete aeronaves da FAB e uma do Exército brasileiro procuram o avião desaparecido: dois helicópteros H-60L BlackHawk, um helicóptero HM-3 Super Cougar (Exército), um KC-130 Hércules, um SC-95 Bandeirante, dois C-105 Amazonas e um R-99.

A aeronave decolou de Cruzeiro do Sul por volta das 10h30 (horário de Brasília) de ontem e deveria ter chegado às 12h15 no seu destino: Tabatinga (AM). O avião transportava técnicos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e emitiu um sinal de emergência 58 minutos após a decolagem. Até o momento, não há informações sobre seu paradeiro.

"Com base nas informações do ELT (sinal de emergência) e dos últimos contatos por radar e rádio com o controle de tráfego aéreo, foi possível estabelecer uma área para início das buscas", disse a FAB, em nota.

  • Divulgação/FAB

    Imagem de arquivo mostra modelo idêntico ao que desapareceu

Mais de cem militares participam da operação de resgate, sendo que 36 militares --entre médicos, enfermeiros e especialistas em resgate--, foram deslocados para a região, anunciou o órgão.

A Aeronáutica informa que eram boas as condições meteorológicas no horário do desaparecimento da aeronave e as mesmas prosseguem nessa situação neste momento.

Dos 11 passageiros, sete são funcionários da Funasa e quatro são militares. A Força Aérea ainda não confirma a queda do avião.

Equipe da Funasa
A equipe que estava a bordo do avião fazia o trabalho de vacinação em aldeias indígenas do vale do Javari, no extremo oeste do Estado do Amazonas.

A assessoria de comunicação da Funasa em Brasília confirmou que havia técnicos do órgão dentro do avião. Em nota, o órgão afirma que os "colaboradores foram designados para ações de imunização (Operação Gota) em cerca de 3,7 mil indígenas de, aproximadamente, 40 aldeias, no vale do Javari, no Amazonas".

A operação é uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Defesa, por intermédio do Comando da Aeronáutica, que levava às populações residentes em áreas rurais e indígenas de difícil acesso as vacinas do calendário básico de vacinação nacional, além de vacinas específicas para povos indígenas.

Motor único em avião aumenta vulnerabilidade

Com apenas um motor, o avião da Força Aérea Brasileira (FAB) é bastante vulnerável. A opinião é compartilhada por dois especialistas ouvidos pelo UOL

Informações técnicas
Além de ser utilizado no transporte de cargas, o Caravan é bastante usado pela FAB no transporte de equipes médicas em missões do Correio Aéreo Nacional (CAN), que leva atendimento de saúde a comunidades isoladas da Amazônia. O avião é usado pela Força Aérea desde 1987.

A velocidade máxima que o C-98 Caravan pode chegar é 341 km/h. A aeronave, de fabricação norte-americana, possui 15,88 m de envergadura e 11,46 m de comprimento. O avião é utilizado no Brasil, Estados Unidos, Bolívia e Libéria. A aeronave tem capacidade para até 14 passageiros e um tripulante.

*Com colaboração especial no Amazonas

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos