Do exterior, Jobim envia nota de solidariedade pelo acidente

Do UOL Notícias
Em São Paulo

O Ministro da Defesa, Nelson Jobim, enviou da Eslovênia uma nota oficial pelo acidente envolvendo o avião C-98 Caravan, que caiu na última quinta-feira (29) na selva no Estado do Amazonas. Jobim, que está fora do país há dez dias visitando países europeus, ressaltou que sente "satisfação e alívio" ao saber que nove dos onze ocupantes da aeronave sobreviveram e estão sendo atendidos em hospitais da região.

Aos familiares dos que ainda não foram localizados, o ministro prestou solidariedade "nesse momento de expectativa e sofrimento". Jobim ressaltou que o acidente ocorreu enquanto o grupo participava "da nobre missão de vacinar comunidades indígenas", em ação promovida pelo Ministério da Saúde, com apoio do Ministério da Defesa.

"Esses brasileiros reforçam em nós o sentimento de gratidão aos milhares de irmãos - civis e militares - que dedicam suas vidas ao apoio das populações carentes nas mais remotas regiões do Brasil", complementa a nota. É esse exemplo de desprendimento e doação, segundo Jobim, "que devemos guardar como lembrança desse episódio".

O acidente
O Caravan fez um pouso forçado no rio Ituí, afluente do rio Javari, entre as aldeias Aurélio, do povo indígena matis, e Rio Novo, da etnia marubo. Uma aeronave C-105 Amazonas localizou o avião às 9h40, a partir das informações fornecidas pelos índios.

O avião acidentado pertence ao 7º Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA), sediado em Manaus (AM). Ele decolou de Cruzeiro do Sul (AC) por volta das 10h30 (horário de Brasília) de ontem e deveria ter chegado às 12h15 no seu destino: Tabatinga (AM). O avião transportava técnicos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e emitiu um sinal de emergência 58 minutos após a decolagem. Segundo a Aeronáutica, eram boas as condições meteorológicas no horário do desaparecimento da aeronave.

A causa do acidente será investigada. "A FAB vai abrir inquérito e realizar todo o processo de investigação para saber as causas do acidente", afirma o major Silverí.

Mais de cem militares participaram da operação de buscas e resgates, dois quais 36 pessoas --entre médicos, enfermeiros e especialistas em resgate--, foram deslocados para a região delimitada pela FAB como local do acidente.

A Funasa informou que os familiares dos profissionais que estavam no avião estão recebendo assistência da prefeitura de Atalaia do Norte (AM), município onde residem. O diretor do Departamento de Saúde (Desai) da Funasa, Wanderley Guenka, viajou para Cruzeiro do Sul (AC) para acompanhar os trabalhos da FAB.

Segundo o secretário de Planejamento de Atalaia do Norte, João Bosco Lopes, a população indígena que mora no Vale do Javari, área do Amazonas onde desapareceu a aeronave, foi acionada para ajudar nas buscas. Nessa localidade, a única presença humana é das comunidades indígenas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos