FAB e Funasa divulgam nomes dos sobreviventes de avião

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizado às 17h11

O Comando da Aeronáutica e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) divulgaram uma nova nota com os nomes dos nove sobreviventes do avião C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira (FAB) que estava desaparecido na Amazônia desde a quinta-feira (29).
  • Arte UOL

Os sobreviventes são três militares identificados como tenente Carlos Wagner Ottone Veiga, tenente José Ananias da Silva Pereira e sargento Edmar Simões Lourenço. Os demais são civis: Josiléia Vanessa de Almeida, Maria das Graças Rodrigues Nobre, Maria das Dores Silva Carvalho, Marina de Almeida Lima, Diana Rodrigues Soares e Marcelo Nápoles de Melo.

Um dos ocupantes do avião está desaparecido e há indícios de um possível óbito. Ao todo, 11 pessoas viajavam na aeronave. Os outros dois ocupantes do avião ainda não resgatados são: João de Abreu Filho (técnico) e o suboficial Marcelo dos Santos Dias, segundo listas divulgadas anteriormente.

A FAB informa que os sobreviventes foram levados por um helicóptero H-60 Blackhawk e um helicóptero HM-3 Cougar do Exército Brasileiro. Todos já chegaram ao aeroporto de Cruzeiro do Sul (AC) na tarde de hoje e foram levados ao Hospital do Juruá para receber cuidados médicos. "Estamos felizes porque estamos vivos" , relatou um dos sobreviventes.

O avião C-98, modelo Cessna Caravan, foi encontrado no meio da floresta nesta sexta-feira (30). Segundo nota do Comando da Aeronáutica, a aeronave foi encontrada por índios da tribo matis, que notificaram a Funai (Fundação Nacional do Índio) sobre a descoberta.
  • Divulgação/FAB

    Imagem de arquivo mostra modelo idêntico ao que desapareceu


O C-98 Caravan fez um pouso forçado no rio Ituí, afluente do rio Javari, entre as aldeias Aurélio, do povo matis, e Rio Novo, da etnia marubo. Uma aeronave C-105 Amazonas localizou o avião às 9h40, a partir das informações fornecidas pelos índios.

O avião decolou de Cruzeiro do Sul (AC) por volta das 10h30 (horário de Brasília) de quinta e deveria ter chegado às 12h15 no seu destino: Tabatinga (AM). O avião transportava técnicos da Funasa. Segundo a Aeronáutica, eram boas as condições meteorológicas no horário do desaparecimento da aeronave.

Equipe da Funasa
A equipe que estava a bordo do avião fazia o trabalho de vacinação em aldeias indígenas do vale do Javari, no extremo oeste do Estado do Amazonas.

Em nota, o órgão afirma que os "colaboradores foram designados para ações de imunização (Operação Gota) em cerca de 3,7 mil indígenas de, aproximadamente, 40 aldeias, no vale do Javari, no Amazonas".

A operação é uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Defesa, por intermédio do Comando da Aeronáutica, que levava às populações residentes em áreas rurais e indígenas de difícil acesso as vacinas do calendário básico de vacinação nacional, além de vacinas específicas para povos indígenas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos