"Cidade do apagão", Itaberá seguiu iluminada e trovoada foi normal, diz prefeito

Do UOL Notícias Em São Paulo*

Apontada pelo Ministério das Minas e Energia como o "epicentro" do apagão elétrico, a pequena cidade de Itaberá, no sul do Estado de São Paulo, permaneceu iluminada na terça-feira à noite (10), no momento do blecaute nacional.

ONDE FICA ITABERÁ?

  • A cidade está a 318 quilômetros a oeste da capital paulista e bem próxima ao Estado do Paraná

"Eu nem sabia que o ocorrido tinha a ver com Itaberá; aqui não faltou luz e só aconteceu uma pequena falha", relatou Walter Sergio de Souza Almeida (DEM), prefeito do município conhecido como "Cidade Amizade".

De acordo com informações do Ministério de Minas e Energia, condições meteorológicas adversas na região derrubaram três linhas de transmissão conectadas à subestação mantida por Furnas na cidade paulista que fica próxima à divisa com o Paraná.

Segundo relato do prefeito e de moradores da cidade, as condições do tempo estavam normais ontem à noite.

"A nossa energia é a primeira a ser recebida diretamente da subestação", disse o prefeito. "Eu liguei lá em Furnas, o empregado falou que não poderia dar informações e que aguardava a visita do chefe geral que viria de Foz do Iguaçu (PR)", completou Almeida.

Ministério diz que o raio pode ter sido em outro lugar
O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, disse hoje que é possível que o município de Itaberá (SP), epicentro do apagão de ontem, não tenha sofrido os efeitos da falta de energia porque pode ter sido alimentado por outro circuito, além daqueles que acabaram sendo desligados. "Itaberá pode ter sido atendida por outro circuito, já que parte do interior de São Paulo ficou atendida por outras usinas", explicou.

Em entrevista à Agência Estado, o prefeito da cidade paulista, Walter Sergio de Souza Almeida (DEM), disse que o município não ficou sem energia ontem. Segundo o governo, foram justamente descargas elétricas, ventos e chuvas na região que levaram ao desligamento de linhas de transmissão que traziam energia de Itaipu.

O diretor de operações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Barata, explicou também que a fonte do problema foram de fato três linhas que vinham do Paraná para São Paulo, mas que, por uma questão de segurança, outras duas, de corrente contínua, foram desligadas também.

Ao longo do dia, surgiram dúvidas sobre a quantidade de linhas de transmissão que ficaram fora do sistema. "O desligamento das três linhas levou ao desligamento em cascata desses outros dois circuitos que vinham de Itaipu", disse Barata. Segundo ele, esse é um mecanismo de segurança para tentar circunscrever o problema à região Sudeste.

*Com informações da Agência Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos