Mau tempo obriga 36 cidades gaúchas a decretar emergência e eleva para 7.000 o número de desabrigados

Flávio Ilha
Especial para o UOL Notícias
Em Porto Alegre

Atualizada às 19h14

A chuva que atingiu o Rio Grande do Sul na manhã desta segunda-feira (23) elevou para 7.000 o número de desabrigados pelas enchentes, segundo a Defesa Civil do Estado. Cidades da fronteira oeste, como Quaraí, Rosário do Sul e Dom Pedrito foram as mais afetadas. Na zona sul, há muitos registros de desabrigados em Camaquã. Segundo a Defesa Civil, 36 cidades estão em situação de emergência.

Em Rosário, 420 casas foram atingidas pela cheia do rio Santa Maria. A Defesa Civil registrou nesta tarde mais dois pedidos de situação de emergência em função do mau tempo. As cidades de Dom Pedro de Alcântara e Rolante, na região central, publicaram o decreto. Em Dom Pedro de Alcântara há 300 casas danificadas e 300 pessoas desabrigadas.

Segundo o subchefe da Defesa Civil, coronel Joel Prates Pedroso, o problema mais grave é o isolamento de 350 pessoas na ilha de São Francisco, no município de Camaquã. Os flagelados receberam alimentos e agasalhos por meio de helicópteros.

Tempestade arranca mais de 70 árvores em Maringá (PR); 1.300 saem de casa em SC

A tempestade que atingiu Maringá (PR) e cidades vizinhas na noite de ontem derrubou ao menos 70 árvores e 17 postes de luz. Já em Santa Catarina as chuvas e ventos dos últimos dias obrigaram 1.308 pessoas a abandonarem suas casas. No total são 1.187 desalojados e 121 desabrigados.



Em Imbé, no litoral do Estado, cerca de 500 casas foram danificadas nas últimas tempestades que atingiram o Rio Grande do Sul. Quatro escolas foram destruídas e há 1.400 desalojados. "O litoral está sendo bem atendido pelas nossas equipes", disse o coronel.

O balanço contabiliza ainda 9.000 casas sem energia elétrica na tarde desta segunda-feira. A maioria dos problemas de abastecimento de energia se concentra nas regiões norte e centro do Estado. De acordo com a AES Sul, que abastece os municípios da região, 7.800 casas estão sem fornecimento de energia.

As cidades São Borja e São Pedro do Sul são as mais atingidas e estão sem abastecimento desde a tarde do domingo (22). A companhia informou que 180 equipes trabalham para restabelecer o fornecimento.

No litoral norte, sete cidades estão com problemas de abastecimento. Segundo a CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica), que abastece a região, são 1.900 sem luz, especialmente nas cidades de Palmares do Sul, Santo Antônio da Patrulha e Mampituba.

Chuvas atingem regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

A semana começa com previsão de chuva nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, de acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec). A alta umidade e o calor vão contribuir para a ocorrência de fortes chuvas no centro-norte do Paraná, grande parte de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Triângulo Mineiro e no sul de Goiás e de Minas Gerais. Também estão previstas pancadas de chuva no centro-oeste, sudoeste e norte do Rio Grande do Sul. São esperadas chuvas acompanhadas de descargas elétricas, rajadas de vento e queda de granizo



No domingo, a companhia conseguiu retomar o fornecimento para as 16 mil residências de São Lourenço do Sul. Os moradores estavam desde a quinta-feira (19) sem energia devido aos danos causados por uma tempestade na linha de subtransmissão que abastece a cidade. A área de abrangência da RGE (Rio Grande Energia) está normalizada, segundo a empresa.

Em Jaguarão, na fronteira com o Uruguai, o rio que corta a cidade está 5 metros acima do normal. Moradores da cidade uruguaia de Rio Branco estão ilhados. Em Santa Rosa, no norte, 30 famílias estão fora de casa. Em São Borja, na região das Missões, a Defesa Civil contabilizou 70 casas destelhadas. Nesta madrugada, as rajadas de vento chegaram aos 104 quilômetros em algumas regiões.

Pela manhã, choveu forte em cidades da fronteira oeste. Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), deve chover cerca de 100 milímetros somente nesta segunda-feira em municípios da região. A média mensal é de 80 milímetros.

À tarde, o mau tempo também atingiu Santa Maria e cidades do norte gaúcho, como Passo Fundo. Em Santa Rosa, há 100 casas danificadas e 800 pessoas desalojadas. O mau tempo deve se espalhar por todo o Estado. Na quarta-feira (25), uma nova frente fria deve chegar ao Rio Grande do Sul provocando altos volumes de chuva.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos