Fabricantes e governo se reúnem para estender prazo das mudanças em plugues

Da Agência Câmara

Existem no Brasil 15 tipos de tomadas e 12 tipos de plugues. A partir de julho de 2011, o Brasil passará a ter dois tipos de tomadas e quatro tipos de plugues.

Fabricantes, consumidores e governo vão se reunir no dia 9 de dezembro para discutir a possibilidade de se estender o prazo de adequação às novas normas sobre plugues e tomadas comercializados no Brasil. A informação é do deputado Celso Russomanno (PP-SP), que participou nesta quarta-feira de audiência pública promovida pelas comissões de Defesa do Consumidor e de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio para ouvir representantes da indústria, do governo e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) sobre a viabilidade do prazo definido pelo governo.

A partir de julho de 2011, os plugues e tomadas comercializados no Brasil vão atender ao novo modelo com três pinos e tomadas com proteção lateral. Atualmente, existem no Brasil 15 tipos de tomadas e 12 tipos de plugues, o que acaba gerando transtornos para os consumidores.

Depois da alteração, o Brasil passará a ter dois tipos de tomadas e quatro tipos de plugues.

Conexão adequada
Celso Russomanno alertou para o fato de que, no mercado, se encontram tomadas no formato novo e eletrodomésticos com plugues antigos, inviabilizando uma conexão adequada. O deputado ressalta que nas lojas de material de construção, encontra-se um tipo de tomada, a nova tomada e o novo plugue. "Já nas lojas de eletrodomésticos e eletro-eletrônicos, são encontrados cabos que não servem nas tomadas novas, não adaptados. Ou seja, o consumidor que hoje mudar para uma casa nova e comprar todos os eletrodomésticos novos, não conseguirá utilizá-los nas tomadas novas."

O diretor de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), Alfredo Lobo, explicou que a mudança atende a um escalonamento de prazo e em julho de 2011 os modelos antigos de tomadas e plugues serão retirados do mercado. "Quando estabelecemos os prazos resolvemos escalonar. O critério de escalonamento foi exatamente o grau de dificuldade que cada setor teria para se adequar." Lobo citou como exemplo a fabricação do plugue bipartido, que teria maior facilidade de adaptação, e que por isso teve o menor prazo. "E assim sucessivamente, até o fabricante dos eletrodomésticos que, por terem três pinos, teriam maior dificuldade."

Segurança
Para o gerente do departamento de tecnologia da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, Fabian Yaksic, o principal ganho com o modelo brasileiro para tomadas e plugues é a segurança proporcionada. "Na tomada padrão brasileiro, conforme norma internacional, existe uma cavidade que vai impedir que qualquer pessoa, principalmente crianças, possa ter acesso de forma involuntária aos pinos; em consequência, não poderão jamais levar choque."

Já a representante do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Teresa Liporace, acredita que o que está faltando é informação para que os consumidores possam agir de maneira adequada. "Informar de como é que esse novo regulamento vai beneficiá-lo em termos de segurança dar todas as informações necessárias. É necessária a informação do processo de transição para que as pessoas não corram para o mercado e façam gastos ou trocas desncessárias."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos