Após 48 mortes, Bahia anuncia compra 1,5 milhão de vacinas contra a meningite

Especial para o UOL Notícias Em Salvador

Depois de 48 mortes este ano, sendo 23 só em Salvador, o governo da Bahia anunciou nesta quarta-feira (2) a compra de 1,5 milhão de vacinas contra a meningite meningocócica. De acordo com o governador, Jaques Wagner, as vacinas serão disponibilizadas gratuitamente à população por meio das unidades de saúde do Estrado e, inicialmente, serão aplicadas em crianças de até 5 anos.

Durante a realização de um seminário em comemoração aos 15 anos do PSF (Programa de Saúde da Família), realizado no final desta manhã em um hotel de Salvador, Wagner disse ainda que a vacinação pode ser ampliada para outros grupos, "caso haja necessidade". Na compra das vacinas, que devem chegar à Bahia no início do próximo ano, o Estado e o Ministério da Saúde vão investir cerca de R$ 30 milhões.

"Quando percebemos o problema que aconteceu em Porto Seguro, iniciamos logo as negociações com dois laboratórios. Vamos montar um esquema para que as vacinas cheguem rapidamente aos quatro cantos da Bahia", disse Wagner. O governador afirmou, também, que todas as crianças da Bahia na faixa etária de até 5 anos deverão ser vacinadas contra a meningite meningocócica, a forma mais grave da doença.

Na noite de anteontem, o jornalista Luciano Costa da Silva, 23, que trabalhava como produtor em uma emissora de televisão de Salvador, morreu em consequência da doença. "Logo que tomou o café da manhã ele se queixou de fortes dores na cabeça e sua nuca ficou enrijecida", disse Noraci Camacan Costa e Silva, mãe do jornalista.

O último boletim da Secretaria Estadual da Saúde, divulgado no dia 14 de novembro, contabilizava 44 mortes no Estado. No entanto, quatro dias depois, uma criança de 12 anos morreu em Camaçari (região metropolitana de Salvador) e, no dia 24, mais duas crianças morreram em Salvador. O jornalista Luciano Costa da Silva é, portanto, a 48ª vítima da doença este ano no Estado.

Com o aumento das mortes, as vacinas contra a meningite meningocócica desapareceram em algumas clínicas particulares de Salvador. "Antes a gente vacinava, no máximo, dez crianças por semana contra a doença. Agora, são 80 aplicações todas as semanas", disse Maria José Rabelo, 32, que trabalha em uma clínica.

A rede pública não oferece a vacina contra a forma mais grave da doença. A Secretaria da Saúde pede que todas as pessoas que tiveram contato com infectados devem procurem a Vigilância Epidemiológica para tomar um antibiótico. Em alguns bairros, onde ocorreram mais mortes, os próprios técnicos da Vigilância Sanitária estão distribuindo os remédios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos