Temporal volta a atingir RS e prejudica busca por desaparecidos

Flávio Ilha
Especial para o UOL Notícias
Em Porto Alegre

Uma chuva forte que atingiu a região central do Rio Grande do Sul na manhã desta quarta-feira (6) prejudicou o reinício das buscas pelos cinco desaparecidos no acidente que derrubou na terça-feira (5) parte de uma ponte na RS-287, entre as cidades gaúchas de Agudo e Restinga Seca. As equipes de resgate conseguiram retomar a procura pelos desaparecidos apenas às 7h15.

Ponte caiu depois da subida repentina do nível das águas do rio Jacuí

  • Lauro Alves/Agência RBS

    Vista aérea da ponte sobre o rio Jacuí, na divisa entre os municípios de Agudo e Restinga Seca

A correnteza do rio Jacuí continua forte, o que prejudica o trabalho, segundo as equipes de resgate. Ainda assim, o volume da água baixou durante a noite. Depois do acidente, 11 pessoas foram resgatadas pelas equipes da brigada Militar (BM) e da Defesa Civil do Estado.

Entre os desaparecidos está o vice-prefeito de Agudo, Hilberto Boeck. Também são procurados Nelo dos Santos (29), Denise Marione Dunke (31), Lori Ella Dunke (56) e Renato Camargo (32). Segundo o Grupamento de Salvamento da BM, a chance de encontrar sobreviventes é remota.

"Caiu como folha de papel", diz sobrevivente no RS

Um estrondo parecido com um trovão soou no instante em que a ponte "desemendou" e caiu "como uma folha de papel", disse o aposentado Élio Neldo Prade, 57, arremessado para dentro do rio Jacuí enquanto fotograva a cheia em Agudo (RS)

Os sobreviventes se agarraram em galhos de árvores e em fios telefônicos para escapar da correnteza, que arrastou 100 metros da ponte. A estrutura, concluída em 1963, tinha 314 metros.

As buscas vão envolver duas equipes. De um lado, 12 homens farão o trabalho em três embarcações. Na outra margem, dez soldados realizarão as buscas. As equipes não cruzam o rio em função da força da correnteza.

Equipes de resgate receberão ajuda



O comandante do Grupamento de Busca e Salvamento da BM, major Jarbas de Ávila, disse que a maior dificuldade das equipes de busca é a grande área alagada pelo temporal. "O rio transbordou de forma impressionante. A área de busca, com isso, fica muito maior", disse.

Um grupo de bombeiros de Porto Alegre, especializado em águas turvas, está se deslocando para o local do acidente para auxiliar nas buscas. A chuva deve continuar forte nesta quarta-feira no Rio Grande do Sul. Mais de mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas no Estado.

Outras regiões do RS também foram afetadas pela chuva forte. Em Barros Cassal, no vale do rio Pardo, a ponte de 75 metros que liga as cidades de Barros Cassal a Fontoura Xavier também não resistiu à correnteza e caiu. Ninguém ficou ferido.

ponte que caiu em Fontoura Xavier liga a cidade

No total, 17 estradas do Estado continuam com bloqueios totais ou parciais em função da chuva. A Defesa Civil registrou pedidos de auxílio e relatos de prejuízo em 39 municípios do Rio Grande do Sul.

Veja no mapa o local em que está a ponte que desabou no RS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos