Grupo de resgate dos bombeiros do Rio de Janeiro embarca para o Haiti

Vitor Abdala
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

Cerca de 30 bombeiros do Rio de Janeiro embarcaram hoje (14) para o Haiti, para ajudar no resgate das vítimas do terremoto da última terça-feira (12). O avião, um Boeing KC-137, da Força Aérea Brasileira, partiu da Base Aérea do Galeão e fará escala em Brasília para levar mais 25 bombeiros do Distrito Federal.

A última escala será em Boa Vista (RR) para reabastecer a aeronave. Sem contar o tempo parado em solo, a viagem até o país caribenho deverá durar mais de sete horas. O comandante do avião, tenente-coronel José Marcelo, explica que o pouso será no Aeroporto de Porto Príncipe, capital do Haiti.

Os bombeiros levam quatro cães farejadores e inúmeros equipamentos para ajudar na busca por sobreviventes.

O secretário estadual de Saúde e Defesa Civil do Rio, Sérgio Cortes, acompanhou o embarque dos bombeiros na Base do Galeão. Segundo ele, todos os homens que estão indo para o Haiti têm larga experiência no resgate de vítimas de desmoronamento.

"O que é importante pensar é que essa missão no exterior precisa ser feita com toda a segurança. Estamos indo para um país assolado pela miséria e agora acontece esse desastre natural, que destruiu grande parte da capital. Então, eles têm que trabalhar com toda a segurança para que possam socorrer vítimas que, porventura, ainda estejam com vida", disse Cortes.

Segundo o secretário, uma equipe médica e um hospital de campanha dos bombeiros estão preparados para serem levados para o Haiti a qualquer momento. "Assim que for necessário, poderemos disponibilizar o hospital", disse Cortes.


Após trabalhar nas inundações e desabamentos, com mortes, na Baixada Fluminense, entre os dias 30 e 31 de dezembro, e nos deslizamentos que deixaram mais de 30 mortos em Ilha Grande, no município de Angra dos Reis, no primeiro dia do ano, o coronel Ricardo Loureiro, do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, já segue para um novo desafio.

Comandante do Grupamento de Busca e Salvamento, o coronel mal encerrou as buscas em Ilha Grande, com o encontro ontem (13) do último corpo desaparecido, e já se apresentou para ajudar no resgate das vítimas do terremoto do Haiti.

Ele é um dos 30 bombeiros fluminenses que estão indo hoje para o país caribenho auxiliar nos trabalhos de resgate. "Estamos desde o Ano Novo trabalhando, ininterruptamente. Ontem, após teoricamente a conclusão de Ilha Grande, já fomos acionados para a operação Haiti. Tratando-se de salvar vidas, isso revigora o nosso espírito, e o cansaço some", disse o coronel.

Segundo ele, só quando chegar ao Haiti é que será possível saber como lidar com a tragédia. "Temos que trabalhar sempre como se as pessoas ainda estivessem com vida. Então, chegando lá, já vamos dimensionar a equipe e o material e partir para os locais mais afetados. Temos que fazer um reconhecimento."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos