Cirurgia é cancelada, e menino com agulhas no corpo deve voltar para casa na sexta

Especial para o UOL Notícias
Em Salvador

Inicialmente marcada para o final da tarde desta segunda-feira (18), a quarta cirurgia para a retirada de agulhas do corpo do menino M.S.A, de dois anos e oito meses, foi cancelada momentos antes de os médicos aplicarem a anestesia local na criança. A decisão de suspender o procedimento, que deveria retirar quatro objetos metálicos localizados na axila esquerda, na lateral esquerda do tórax, na lateral esquerda do abdômen e na coxa esquerda, foi tomada pelos médicos do hospital Ana Neri, em Salvador, depois de uma nova análise sobre os exames realizados esta manhã.

Menor com agulhas no corpo recebe doações do exterior

O menino de 2 anos que teve agulhas introduzidas no corpo e está internado em Salvador tem recebido dezenas de brinquedos de várias partes do mundo


Segundo a assessoria do hospital, os médicos chegaram à conclusão definitiva de que a criança pode conviver com as agulhas, sem nenhum risco à sua saúde. Desde que deu entrada no hospital, há pouco mais de um mês, a criança foi submetida a três cirurgias - no total, 22 agulhas foram retiradas do seu corpo. Na próxima sexta-feira (22), de acordo com o hospital, a criança deverá receber alta e retornar para o interior da Bahia.

Um exame de raio-x realizado na manhã desta segunda-feira (18) revelou a presença de cinco agulhas intactas no corpo da criança, e não nove, como constatado no exame anterior. Segundo o hospital, na avaliação anterior, foram contabilizados apenas fragmentos metálicos.

Desde que deu entrada no hospital de Salvador, o estado de saúde da criança evoluiu bem. No início, por causa das dores, o menino chorava muito e repelia as aproximações dos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais. Com o tempo, e após as cirurgias, voltou a sorrir, a brincar e a andar normalmente.

Por causa da grande repercussão do caso, empresas e pessoas físicas participaram de uma campanha de solidariedade para ajudar a família da criança, que mora em Ibotirama (BA). Em pouco mais de 15 dias, os familiares ganharam dinheiro e pelo menos três toneladas de alimentos.

O diretor médico do hospital, Roque Aras, disse que a permanência prolongada da criança no local foi importante para completar o ciclo de tratamento pós-operatório. "Temos de lembrar que praticamente em 30 dias o menino foi submetido a três cirurgias, que retiraram 22 agulhas de diferentes órgãos do corpo, como coração, pulmão, fígado e coluna."
Informados sobre o retorno do menino à cidade, alguns moradores de Ibotirama estão preparando uma festa para recepcioná-lo.

O ex-padrasto da criança, Roberto Carlos Magalhães, e sua amante, Angelina Capistana Ribeiro dos Santos, que assumiram o envolvimento no crime, estão presos por tentativa de homicídio. Se condenados, podem pegar até 20 anos de prisão.

No início desta noite, a mãe da criança, Maria Souza Santos, disse que pretende se mudar para Barreiras (BA) para evitar a proximidade com os acusados. Antes de ser transferido para o hospital Ana Neri, o menino foi atendido em um hospital do município localizado no oeste do Estado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos