Justiça assina acordo com estados para fortalecer combate ao crime na fronteira

Alex Rodrigues
Da Agência Brasil

Em Brasília

Pouco mais de três meses após anunciar a criação do Projeto de Policiamento Especializado na Fronteira (Pefron) o Ministério da Justiça assinou, hoje (9), acordos de cooperação com oito estados das regiões Centro-Oeste e Norte que fazem fronteira com dez países.

Os acordos firmados com os estados do Acre, Amapá, Amazonas, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, do Pará, de Rondônia e Roraima institucionalizam o projeto, uma iniciativa que integra o Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci).

A proposta do ministério é fortalecer as polícias dos estados com a criação de grupos especializados que irão atuar de forma preventiva e repressiva nas fonteiras e no combate aos crimes típicos de cada região, como, por exemplo, o tráfico de drogas e armas e o contrabando. As ações serão desenvolvidas com o suporte dos órgãos federais, como as polícias Federal, Rodoviária Federal e a Força Nacional de Segurança Pública.

Segundo o secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, a proposta do ministério é destinar entre R$ 8 milhões e R$ 9 milhões para que cada estado crie seu núcleo central, instalando a estrutura física e capacitando os agentes que irão coordenar o projeto no estado.

“Criaremos um núcleo de 46 homens por estado. Eles serão treinados pela Força de Segurança Nacional para, digamos, comandar todas as forças locais encarregadas de guardar as fronteiras. Portanto, além da estrutura física e de policiais bem-treinados, o projeto terá ainda o envolvimento direto das polícias militar, civil e também dos corpos de bombeiro de cada estado”, disse.

Balestreri também revelou que outras ações ministeriais irão complementar a política de segurança nas fronteiras. “Também estamos pensando em destinar aos estados uma frota de viaturas especialmente preparadas, com tração nas quatro rodas. E continuaremos investindo entre R$ 80 e R$ 100 milhões anuais em aviação para segurança pública”.

O secretário disse ainda que serão feitos investimentos na área da segurança marítima. “Há a previsão de investirmos em torno de R$ 50 milhões para a compra de lanchas e embarcações especiais para darmos às polícias estaduais condições para realizarem a vigilância marítima”.

Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Francisco Sá Cavalcante informou que a assinatura do acordo possibilitará a criação de três batalhões: em Tabatinga, em Boca do Acre e em São Gabriel da Cachoeira.

“O trabalho na fronteira é diferenciado e é uma necessidade de todos os estados fronteiriços, que têm dificuldades para operar apenas com suas polícias. Esse apoio do ministério é fundamental porque inclui tanto equipamentos, quanto a qualificação dos policiais, contribuindo principalmente para o combate ao narcotráfico”, afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos