Moradores das zonas sul e oeste de SP reclamam que "rodízio" de água não existe

Raquel Maldonado
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizada às 13h40

Dois dias após o rompimento de uma adutora na zona sul de São Paulo, cerca de 750 mil pessoas continuam sem água nas regiões sul e oeste da capital, além das cidades de Embu e Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Moradores dos bairros do Butantã e da Vila Sônia dizem que, ao contrário do que informou a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), não houve abastecimento parcial durante a noite.

Um colégio particular localizado na Vila Sônia informou que as aulas foram suspensas durante todo o dia de hoje devido à falta de água. A escola informou ainda que, por causa da grande demanda na região, não há como solicitar a vinda de caminhões-pipa. “Meu filho teve de voltar, pois a escola estava fechada”, afirma a moradora Adriana Colonese. Ela complementa dizendo que desde a manhã de domingo está sem água e que ontem não houve nenhum tipo de fornecimento.

Mais uma reclamação

Moro na região do Jardim Bonfiglioli, próximo ao Rio Pequeno, e está faltando água desde as 18h de sábado. O telefone da Sabesp não atende, está ocupado 24 horas. O governador do Estado apareceu ontem em todos os canais de TV para falar sobre a inauguração da nova biblioteca e nem citou este fato tão sério que prejudica a população do Butantã e adjacências

Rosa Celeste, internauta

“Por aqui não cai uma gota de água nas caixas desde sábado à noite quando ficou fraca até secar. Não veio nenhum caminhão-pipa e não participamos de rodízio algum”, relata o internauta José Ribeiro Rocha, morador do Butantã. Ele também afirma que já falta água engarrafada no comércio local.

Roselane Paixão é moradora de Paraisópolis e trabalha como auxiliar administrativa em uma creche na região. Segundo ela, domingo pela manhã já não havia água. Entretanto Paixão afirma que ontem, por volta das 17h, saiu um pouco de água das torneiras, o que foi suficiente para encher dois baldes. “Com essa água tomamos banho e utilizamos o restante para fazer o jantar”, afirma.

Segundo a moradora, a creche, que atende cerca de 700 crianças da região, tem um reservatório e até o momento o funcionamento está normal. “Muitas crianças não estão vindo, pois os pais não estão conseguindo água para dar banho nelas. Mas sempre digo aos que ligam para perguntar sobre o funcionamento da creche que está tudo normalizado, assim pelo menos aqui eles podem se alimentar e tomar água de boa procedência”, complementa.

Outro lado
A assessoria de imprensa da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), disse que o abastecimento na região não foi normalizado e que o fornecimento nas zonas afetadas foi feito de forma parcial. Isso quer dizer que somente parte dos moradores receberam água na noite de ontem.

Os trabalhos para o conserto da adutora Teodoro Ramos, que rompeu na madrugada do domingo (7), devem ser concluídos até as 14h desta terça-feira (9). Segundo informou a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a normalização do abastecimento deverá ocorrer de forma gradual, ao longo do dia.

A tubulação, de 1,5 m de diâmetro, leva água da estação de tratamento Alto da Boa Vista para as regiões do Morumbi, Butantã, Vila Sônia, Embu Santo Eduardo, Embu Vista Alegre, Embu Centro, Pirajussara, Interlagos, Campo Belo, Raposo Tavares, Taboão da Serra, Jardim Campestre, Americanópolis e Granja Viana.

Segundo as últimas informações divulgadas pela Sabesp, moradores do bairro do Morumbi devem estar recebendo água durante a manhã de hoje. Todo o restante da região afetada será abastecido de forma parcial até que a adutora esteja em pleno funcionamento.

A assessoria de imprensa afirma que a demora no conserto se deve à localização da tubulação, que está em uma profundidade de oito metros e que "trata-se de área de difícil acesso, em razão da proximidade com o córrego Cordeiro".

Seu bairro está sem água?

Cerca de 30 funcionários, distribuídos em diferentes equipes, estão trabalhando no conserto desde as 5h do domingo. A causa do rompimento não foi divulgada. Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, é cedo para dizer o que causou o problema.

Trânsito
O trânsito na região ficou comprometido. A avenida Roque Petroni Junior, sentido marginal Pinheiros, na altura da avenida Doutor Chucri Zaidan continua totalmente interditada.

Uma alternativa para os veículos que seguem pela avenida Roque Petroni Junior é utilizar a rua Bacaetava, sentido avenida dos Bandeirantes, acessando a avenida do Morumbi, sentido marginal Pinheiros. Outra opção de desvio é utilizar as avenidas Dr. Chucri Zaidan, Morumbi e Jornalista Roberto Marinho.

*Com informações da Folha Online e da Agência Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos