MPT entra na Justiça para garantir 50% da frota de ônibus funcionando na Grande BH

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

O Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais (MPT-MG) entrou às 14h desta segunda-feira (22) na Justiça do Trabalho com um pedido para que os motoristas de ônibus de Belo Horizonte e da região metropolitana cumpram uma escala mínima de 50% da frota a partir da meia-noite de hoje, sob pena de multa de R$ 30 mil por dia de descumprimento.

Os motoristas iniciaram na manhã desta segunda-feira (22) uma greve geral por tempo indeterminado. Na capital mineira, 70% da frota ficou fora de circulação. Já na região metropolitana, 90% dos motoristas cruzaram os braços, o que corresponde a 2.000 ônibus parados.

O número de ônibus em circulação é insuficiente para atender a população da Grande BH, e milhares de pessoas foram afetadas pela greve.

“Compete às entidades sindicais envolvidas garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade. Neste aspecto, como as entidades sindicais envolvidas não lograram ajustar o cumprimento da norma, o parquet requer a concessão de medida liminar”, diz a petição assinado pelo procurador Eduardo Botelho.

A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) informou que espera o cumprimento da decisão. Caso contrário, vai pedir ao MPT autorização para iniciar a contratação emergencial de 1.440 funcionários para cobrir a operação mínima dos veículos na região metropolitana.

Além da capital mineira, as cidades de Sabará, Contagem, Brumadinho, Betim, Ibirité, Pedro Leopoldo e Vespasiano foram atingidas. Ao todo, 250 mil passageiros da Grande BH ficaram sem transporte, segundo a Setop.

O Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais (MPT-MG) marcou para as 16h de hoje uma reunião entre as partes para tentar resolver a situação.

Depredação
Segundo a Polícia Militar (PM), há registros de atos de violência em diferentes regiões. A SetraBH, que representa empresas de transporte de passageiros urbanos, confirmou 63 ônibus depredados.

Pelo menos um motorista foi preso no bairro de Jardim Atlântico quando furava o pneu de ônibus que deixavam as garagens. Um grupo também foi detido quando apedrejava um ônibus na avenida Américo Vespúcio, no bairro Caiçara, região noroeste da capital mineira.

Reivindicações
Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de BH e Região (STTRBH), os rodoviários decidiram pela greve nesse domingo (21) durante assembleia. Eles rejeitaram a proposta das empresas de ônibus, que ofereceram 4,36% de aumento salarial, e continuam reivindicando reajuste de 37%, redução da jornada de trabalho para seis horas diárias, fim da função dupla do motorista e fim da compensação de horas extras.

Em nota, as empresas de transporte coletivo da região metropolitana de Belo Horizonte informaram que apresentaram ao sindicato uma proposta de reajuste que coloca os trabalhadores do setor entre os de maior remuneração, considerando os salários pagos em todas as capitais do País. Para as empresas, "a ausência ao trabalho pode representar demissão por justa causa por descumprimento da Lei de Greve".

* Com informações da Agência Estado

 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos