Em apenas um dia, chove em Angra dos Reis o esperado para o mês inteiro

Do UOL Notícias

Em São Paulo

Atualizada às 15h35

A quantidade de chuva que atingiu vários bairros de Angra dos Reis (RJ) nessa quinta-feira (25) foi equivalente à média mensal de fevereiro nos últimos anos. Apesar da chuva, não há registro de feridos, desabrigados e desalojados no município, segundo a Defesa Civil Municipal. A cidade ainda permanece em estado de atenção.

Em 24 horas choveu 122 mm no centro da cidade, 142 mm no Paraíso, 130 mm no Parque Mambucada e 86 mm no Frade. O índice mais elevado foi registrado no bairro Areal com 199 mm.

Em 2007 choveu, durante todo o mês de fevereiro, 127 mm em Angra. No mesmo período de 2008 a chuva acumulada foi de 195 mm. Já em fevereiro do ano passado a chuva foi maior, 270 mm, de acordo com a Defesa Civil.

O órgão municipal foi acionado durante todo o dia e parte da noite de ontem para atender aos chamados emergenciais. Devido a chuva intensa, alguns bairros ficaram alagados e ocorreram deslizamento de terra. Os bairros mais atingidos foram: Areal, Bonfim, Japuíba, Parque Belém, Lambicada, Nova Angra, Vila Nova, Morro da Cruz, Morro da Caixa D'água, Morro da Fortaleza, Morro da Glória II, Morro do Carmo, Morro do Tatu e Sapinhatuba I.

Nas últimas horas, foram 12 deslizamentos de terra e seis alagamentos em áreas isoladas. Nenhum dos eventos deixou vítimas. A previsão do tempo para os próximos dias é de céu nublado, com pancadas de chuva ocasionais. No início tarde, não chovia em Angra dos Reis, segundo a Defesa Civil.

Dois trechos de via pública chegaram a ser interditados devido aos deslizamentos, mas segundo a Defesa Civil,  já foram liberados. Um deles ficava na rua Novo Horizonte, no bairro Lambicada, e outro na rua João Gregório Galindo, antiga estrada Angra Getulândia, no Morro da Glória II.

Ainda com a previsão de um menor volume de chuva para os próximos dois dias, a secretaria de Governo e Defesa Civil determinou que todo o corpo operacional do órgão mantenha-se de prontidão.

O município foi duramente castigado por uma forte chuva no dia do Réveillon, que deixou 53 mortos – 32 na enseada do Bananal, na Ilha Grande, e 21 no morro da Carioca, no centro de Angra. Na época, milhares de pessoas ficaram desalojadas ou desabrigadas.

Após dias de calor, frio chega ao RJ
A chuva das últimas horas em Angra foi provocada pela chegada de uma frente fria ao Rio de Janeiro. O risco de temporais com ventos fortes é maior para o norte, região dos Lagos e região serrana. Após semanas de calor intenso, na capital a chuva diminui ao longo do dia, e as máximas não passam dos 26°C. Pode ser uma das tardes mais fria do ano.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos