Prima de Eloá reaparece em Maceió; família nega que ela tenha sido sequestrada, mas polícia investiga o caso

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias

Em Maceió

A prima da jovem Eloá Pimentel, morta pelo ex-namorado Lindemberg Alves em outubro de 2008, durante o mais longo caso de cárcere privado do país, reapareceu na tarde desta quinta-feira (4) em Maceió (AL) depois de 12 dias desaparecida. A Polícia Civil de Alagoas abriu investigação sobre o desaparecimento da adolescente J.T.S., de 15 anos.

Segundo a tia Janaína Tenório, a adolescente apresentava sinais de arranhões pelo corpo. Janaína confirmou que a jovem estava na casa da ex-namorada da mãe, mas negou que tenha sido sequestrada. 

“Ele está negando, mas a gente acredita que é por causa das ameaças que ela sofreu. Independente disso, ela foi mantida em cárcere privado e só foi libertada após a denúncia aparecer na imprensa”, afirmou a tia.

A Polícia Civil ainda vai ouvir os depoimentos da jovem e da acusada nos próximos dias.

Segundo a mãe da adolescente, que confirma uma relação estável de seis anos com a acusada, o motivo do suposto cárcere privado da filha seria o fim do relacionamento das duas. “Minha filha está sendo mantida em um cubículo, dormindo no chão e sem comida. Ela é a uma menina caseira, que tem pouco contato com as pessoas, jamais sairia escondido”, afirmou ela antes do reaparecimento da jovem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos