Boletim de ocorrência aponta que criminosos chegaram à casa de Glauco atirando

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

O boletim de ocorrência registrado após o assassinato de Glauco Villas Boas, 53, e de seu filho Raoni, 25, indica que criminosos chegaram em um carro cinza e atiraram contra a casa do cartunista, localizada na Estrada Portugal, no Jardim Três Montanhas, em Osasco (SP). Pai e filho morreram na madrugada desta sexta-feira (12) após serem atingidos pelos disparos.

A versão da polícia não fala em assalto. As mortes de Glauco e Raoni foram registradas como “homicídio simples”, segundo a SSP.

A versão que consta no boletim de ocorrência, registrado no 1º DP de Osasco, é diferente da apresentada por Ricardo Handro, advogado da família e amigo de Glauco há mais de uma década.

Segundo Handro, a casa do cartunista foi invadida por dois homens armados que tentaram levar pertences da família e o próprio cartunista. Ao tentar persuadir um dos bandidos, Glauco foi alvejado com quatro tiros à queima roupa.

O filho dele, Raoni Villas Boas, que chegava da faculdade, discutiu com os bandidos ao se deparar com seu pai rendido e também foi atingido por disparos. Os bandidos fugiram sem levar nada.

O cartunista foi fundador e era coordenador da igreja Céu de Maria, que recebia até 400 visitantes aos finais de semana, segundo vizinhos de Glauco que também frequentavam o templo. A igreja, da doutrina do Santo Daime, ficava no mesmo terreno da casa de Glauco.

A polícia paulista teria identificado um dos suspeitos de participar do crime. Ele seria usuário de drogas, conhecia a família das vítimas e era frequentador da igreja Céu de Maria.

Casa de Glauco, onde ocorreu o crime

Socorro, velório e enterro

Glauco e seu filho chegaram a ser socorridos e levados ao hospital Albert Sabin, no bairro da Lapa, zona oeste de São Paulo, mas não resistiram aos ferimentos e morreram. Os corpos do cartunista e do filho foram liberados pelo IML da cidade no início da tarde.

Familiares e amigos vão velar o cartunista e seu filho na igreja Céu de Maria, da doutrina do Santo Daime.

O velório, originalmente marcado para as 13h, atrasou em decorrência na demora na liberação dos corpos. Segundo o advogado, a família pede que a cerimônia seja reservada.

Handro afirmou que o enterro ocorrerá no cemitério Gethsêmani Anhanguera, na vila Sulina, em São Paulo. O horário ainda não foi definido.

Perfil

Glauco é conhecido por suas charges publicadas desde 1977 no jornal Folha de S.Paulo. Criador de personagens como Dona Marta, Zé do Apocalipse, Doy Jorge, Geraldinho e Geraldão, seu ingresso no jornalismo se deu nos anos 70, graças ao jornalista Hamilton Ribeiro, que dirigia o "Diário da Manhã", em Ribeirão Preto, e tirou o paranaense da fila do vestibular para Engenharia.

Alguns anos mais tarde, em 1976, a premiação no Salão de Humor de Piracicaba abriu as portas do jovem cartunista para a grande imprensa.

Em 1977, Glauco começou a publicar suas tiras esporadicamente na Folha de S. Paulo. A partir de 1984, quando a Folha dedicou espaço diário à nova geração de cartunistas brasileiros, Glauco passou a publicar suas charges periodicamente.

*Com informações de Guilherme Balza, do UOL Notícias, da Folha Online e da Agência Estado

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos