Aulas desta quarta-feira são canceladas no Rio, anuncia prefeitura e governo estadual

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

Atualizada às 19h17

População deve deixar áreas de risco, diz prefeito do Rio de Janeiro

Em entrevista coletiva no começo da noite desta terça-feira (6), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), anunciou que as escolas estarão fechadas nesta quarta-feira (7) devido aos estragos causados pelas fortes chuvas que atingem o Estado desde ontem. O intuito do cancelamento é evitar o deslocamento de pessoas amanhã. Só na capital, 35 pessoas morreram e mais de 1.410 estão desalojadas e desabrigadas. No Estado foram mais de 90 mortes.

A secretaria estadual de Educação também anunciou que as aulas continuarão suspensas amanhã. Segundo o órgão, “a medida é preventiva e tem como principal objetivo preservar alunos, professores e diretores de possíveis danos ocasionados pela chuva incessante”.

Além das escolas da capital fluminense e da região metropolitana do Rio de Janeiro, a suspensão também abrange estabelecimentos de ensino localizados nos municípios de Magé e Guapimirim.Os governos municipal e estadual recomendaram às escolas privadas que também cancelem as aulas.

“Teremos uma cidade com problemas amanhã ainda. Não sabemos ainda o grau de problemas”, disse, referindo-se ao que pode acontecer durante a madrugada desta quarta já que a previsão é de mais chuvas.

Paes anunciou que uma equipe da prefeitura vai se reunir por volta das 5h da manhã para avaliar as condições da cidade e estipular se um novo pedido de recolhimento deve ser feito à população.


Paes ressaltou que o risco de deslizamentos ainda é grande e disse que seu principal apelo é para as pessoas que estão em área de risco. “Não paguem para ver”, disse. 

Durante o dia, a prefeitura removeu 2.400 toneladas de lixo e terra e retirou 400 árvores das ruas da cidade. Foram usados 177 caminhões, 34 retroescavadeiras e 44 pás-mecânicas do governo municipal para fazer o serviço.

Ajuda federal
O prefeito do Rio afirmou que conversou nesta terça-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pediu que as cerca de 4.000 moradias populares, que estão quase prontas na cidade, sejam enquadradas no programa de habitação Minha Casa, Minha Vida. Paes disse que dessa forma as unidades poderão ser direcionadas às pessoas mais pobres. Lula deve dar uma posição sobre o assunto amanhã.

“Queremos tratar a questão com muita objetividade”, afirmou Paes. 

*Com informações de André Naddeo, no Rio de Janeiro

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos