Chuva começa a diminuir, e veículos voltam a circular no centro do Rio

Douglas Oliveira e Isabela Vieira
Repórteres da EBC
No Rio de Janeiro

A intensidade da chuva começa a diminuir na capital fluminense e o nível do rio Maracanã, principal ponto de transbordamento na cidade, já baixou, o que possibilita o tráfego de ônibus e carros de passeio. Os ônibus voltaram a circular no centro da cidade, mas o movimento de pessoas ainda é reduzido. Muita gente ficou em casa, atendendo ao pedido feito hoje (6) cedo pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, devido aos mais de 60 pontos de alagamento na cidade.

O mau tempo e suas consequências já causaram a morte de ao menos 35 pessoas, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

O ascensorista Moisés Alves saiu de casa em Madureira, na zona norte, no fim da madrugada de hoje, antes do alerta da prefeitura. Ele disse que viu ônibus e carros parados em vários pontos de alagamentos na cidade e que demorou o dobro do tempo para chegar à Praça Mauá, centro. “Estava tudo parado por causa das poças d'água e veículos enguiçados desde ontem. Um verdadeiro caos”.

Dezenas de lojas comerciais no centro e agências bancárias ainda não abriram para atendimento ao público, devido ao temporal que atinge o Rio desde o final da tarde desta segunda-feira (5).

O motorista de táxi Sândalo Monteiro, que trabalha desde as 5h, contou que a chuva deixou árvores caídas e pontos de alagamento na Baixada Fluminense e em toda a cidade do Rio. “Não há condições de tráfego. Presenciei, ontem à noite, a avenida Brasil com ondas, correnteza forte, carros sendo arrastados na Penha e em Ramos [zona norte].”

A situação no município provoca muitos transtornos, com pessoas presas nos ônibus e carros de passeio parados por várias horas. Na Praça da Bandeira, uma das áreas mais afetadas pelo transbordamento do rio Maracanã, os bombeiros usaram botes salva-vidas para resgatar dezenas de trabalhadores que estavam ilhados nos carros e nos ônibus.

Por precaução, para evitar novos deslizamentos, a prefeitura do Rio decidiu fechar a avenida Niemeyer, em São Conrado, e a Estrada Grajaú-Jacarepaguá, para avaliar as condições de segurança e se há risco de novos deslizamentos de terra.

Estradas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que a situação das rodovias no Estado do Rio é complicada, em razão dos temporais registrados nas últimas horas. Apesar da trégua da chuva em alguns pontos, foram registrados rolamentos de pedras, quedas de barreiras e até mesmo uma ponte em risco de ceder.

Na altura do quilômetro 281 da BR-101, técnicos da concessionária local verificam a situação de uma ponte que parece estar cedendo pela força das águas. No momento, todo o fluxo de carros no sentido Rio de Janeiro está interrompido e não se tem certeza se a ponte suporta a movimentação de carros em pelo menos um sentido.

Também na BR-101, há trechos com quedas de barreira e rolamento de pedras. A orientação da PRF é de que as pessoas não saiam de casa, uma vez que a maioria dos serviços públicos está suspensa. De acordo com o órgão, ainda há muitos carros abandonados nas ruas, o que compromete o trabalho do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil.

A própria concessionária local também orienta os motoristas com destino à cidade do Rio de Janeiro que aguardem melhores condições de tráfego ou que adiem a viagem. Foram disponibilizados painéis de mensagem ao longo da rodovia, desde Taubaté (SP), com informações aos usuários que já estão em viagem pela via Dutra.

Para mais informações sobre as condições de tráfego na chegada ao Rio de Janeiro, basta ligar no número 0800 0173536.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos