Chuvas atingem Bahia, deixam 700 fora de suas casas e matam duas pessoas

Especial para o UOL Notícias

Em Salvador

As chuvas que atingiram praticamente toda a Bahia entre a noite desta quarta-feira (7) e o início da tarde desta quinta-feira (8) provocaram duas mortes e deixaram pelo menos 700 pessoas desabrigadas e desalojadas. Em Salvador, raios e ventos fortes destelharam casas, derrubaram árvores e provocaram a falta de energia parcial ou total em pelo menos 12 bairros. A previsão do tempo de ontem já avisava que a frente fria que provocou a tragédia no Rio de Janeiro iria chegar hoje à Bahia.

PREVISÃO DO TEMPO DE ONTEM AVISAVA QUE FRENTE FRIA QUE ATINGIU O RIO IRIA PARA A BAHIA; VEJA ENTREVISTA

  • No vídeo abaixo, meteorologista do Tempo Agora explica as fortes chuvas deste ano; veja:

Em Feira de Santana, a segunda maior cidade do Estado, Raimundo de Jesus, 39, foi arrastado pela correnteza e morreu. De acordo com a Polícia Civil, ele tentou atravessar uma ponte sobre um riacho e foi levado pelas águas. No momento da travessia, a ponte, que mede cerca de cinco metros, estava coberta pelas águas.

A outra morte aconteceu em Prado, cidade localizada no extremo sul do Estado. Adésia Coelho, 42, morreu eletrocutada, ao pisar em um fio de uma rede elétrica clandestina, que estava encoberto pelas águas.

As chuvas que atingiram toda a região provocaram o rompimento de duas represas, destruindo completamente um trecho da BR-489, que liga Prado a Itamaraju. Com o incidente, quem quiser fazer o percurso entre as duas cidades tem de percorrer um desvio de quase 200 km. A Prefeitura de Prado decretou estado de emergência por 30 dias e a Cordec (Coordenação Estadual de Defesa Civil) informou que vai distribuir cestas básicas e colchões aos desabrigados e desalojados, que somam cerca de 500 pessoas.

Na capital, o incidente mais grave foi registrado na escola Raul Sá, localizada em Mussurunga, que fica na periferia. Um raio atingiu e derrubou parte de uma amendoeira localizada no pátio interno da unidade, provocando ferimentos em três estudantes. Até as 20h desta quinta-feira, a Codesal (Coordenadoria de Defesa Civil de Salvador) recebeu quase 300 solicitações, entre alagamentos, ameaças de desabamento de imóvel e de muro, deslizamentos de terra e quedas de árvores.

 

Em Salvador, Feira de Santana e algumas cidades da região metropolitana da capital, as aulas foram suspensas por 48 horas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos