Posto de doação no centro Rio recebe ajuda de mais de 300 voluntários

Daniel Milazzo
Especial para o UOL Notícias

No Rio de Janeiro

O posto de arrecadação montado pela Cruz Vermelha do Rio de Janeiro (CV-RJ) para arrecadar doações às vítimas das fortes chuvas dessa semana já recebeu a ajuda de mais de 300 voluntários desde terça-feira (6).

Saiba como fazer doações para vítimas das chuvas no Rio de Janeiro

“Tem pessoas que chegam trazendo donativos e estão ficando para ajudar”, relata Roseli Sampaio, diretora-executiva da instituição, que fica na praça da Cruz Vermelha, no centro da cidade.

Os voluntários estão auxiliando no recebimento das doações, carregamento, triagem, preparação de kits e controle de saída dos caminhões que seguem rumo às localidades mais afetadas.

Edil Luis Santos, 35, professor, não possuía vínculos com a CV-RJ, mas comoveu-se com a situação dos desabrigados e resolveu ajudar: “Melhor vir do que ficar parado em casa. Não custa nada. É como o beija-flor que leva uma gota d’água para apagar o incêndio na floresta.”

Leia a cobertura completa

Angela Castro, 57, secretária, tem permanecido das 7h às 20h na praça da Cruz Vermelha, recebendo os donativos. “O trabalho do voluntário é essencial. Sem eles, nada disso poderia estar sendo feito”, diz.

Desde terça-feira, já saíram do posto de arrecadação 50 caminhões, informa Luiz Alberto Lemos Sampaio, presidente da filial estadual da Cruz Vermelha no Rio. Até o final da tarde de hoje, já tinham saído 15 veículos do local. E o trabalho se estenderá ao longo da noite e da madrugada.

São preparadas cestas básicas com alimentos não perecíveis, kits de higiene pessoal e kits de limpeza. Roseli Sampaio ressalta que ainda há uma grande demanda por materiais de limpeza (vassouras, rodos, baldes, cloro, água sanitária, panos de chão, etc).

As pessoas também contribuíram trazendo colchões, cobertores e fronhas. Albert Oliveira, 16, estudante, chegou no final da tarde desta sexta-feira trazendo roupas. “Acho importante ajudar. O que houve também podia ter acontecido comigo.” Um dos primos de Oliveira é morador do morro dos Prazeres –comunidade mais atingida na capital, com mais de 20 mortos– e está desabrigado.

A maior parte das doações está sendo enviada a abrigos montados para os desabrigados na capital e nos municípios de São Gonçalo, Araruama e Itaboraí.

De acordo com Roseli Sampaio, o posto na Praça da Cruz Vermelha continuará funcionando 24h durante o final de semana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos