MST inicia "Abril Vermelho" com ocupação de 20 propriedades no Nordeste

Carlos Madeiro

Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) já ocupou 20 propriedades nos Estados de Alagoas, Paraíba e Pernambuco desde domingo (11) no chamado “Abril Vermelho. Cerca de 2.500 famílias participam das ações Nordeste. O movimento prevê outras ocupações e marchas pelos Estados até o final do mês.

O maior número de ocupações aconteceu em Pernambuco. Segundo o MST, entre o domingo e esta segunda-feira (12), 15 fazendas já foram ocupadas em todas as regiões do Estado. Cerca de 2.000 famílias participaram dos atos.

Também no domingo, três engenhos foram ocupados por 310 famílias nos municípios de Maraial, Moreno e Gameleira, ambas na Zona da Mata. No sertão, quatro fazendas foram invadidas por cerca de 800 famílias nos municípios de Custódia, Ipubi, Petrolina e Jataúba.

Nesta segunda-feira, outras sete ocupações aconteceram. Em São Lourenço e Camutanga, dois engenhos foram invadidos por cerca de 250 famílias. Já no sertão, foram quatro ocupações de fazendas, com 540 famílias, nos municípios de Belém do São Francisco (duas), Ibimirim, Itacuruba. No agreste, a fazenda Taquari também foi invadida no município de Passira por 80 famílias.

De acordo com o MST, em Pernambuco, 17 mil famílias estão em acampamentos à espera de reforma agrária. “A maioria delas estão acampadas há mais de cinco anos, vivendo em situação bastante difícil à beira de estradas e em áreas ocupadas, que são vítimas da violência do latifúndio e do agronegócio”, diz o movimento.

Na Paraíba, o MST informou que, nesta segunda, 300 famílias montaram acampamento na rodovia PB-415, no município de Uiraúna, no sertão. Já no Vale do Piancó, 60 famílias ocuparam a fazenda Riachão, no município de Ibiara. No domingo, 60 famílias já haviam ocupado a fazenda Mubamba do Rangel, no município de Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa.

Em Alagoas, duas fazendas no sertão foram ocupadas por 145 famílias. A primeira propriedade foi invadida no fim da noite de domingo no município de Traipu. Já a segunda ocupação aconteceu no início da madrugada desta segunda-feira, no município de Piranhas. No Estado, segundo o MST, seis mil famílias aguardam pela reforma agrária.

"Abril Vermelho"
O “Abril Vermelho” 2010 tem como lema "lutar não é crime”. Segundo o MST, a escolha do tema é “referência ao processo de criminalização dos movimentos sociais, levado a cabo por parte dos poderes Legislativo e Judiciário e da grande imprensa”.

Na “Jornada Nacional de Lutas por Reforma Agrária”, o MST pede o assentamento das 90 mil famílias que hoje estão acampadas pelo país, além da atualização dos índices de produtividade, garantia de recursos para as desapropriações de terras e investimentos públicos nos assentamentos.

A escolha do mês de abril é referência ao massacre de Eldorado dos Carajás (PA), quando 19 trabalhadores rurais foram mortos pela Polícia Militar no dia 17 de abril de 1996.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos