Restrições no espaço aéreo britânico serão ampliadas; cancelamentos permanecem

Talita Boros
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizada às 19h38

O Serviço de Controle de Tráfego Aéreo (Nats, na sigla em inglês) do Reino Unido informou no início da noite desta quinta-feira (15) por meio de seu site que a nuvem de cinza vulcânica da geleira de Eyjafjallajoekull, na Islândia, continua a cobrir grande parte do país, por isso, as restrições no espaço aéreo foram ampliadas até as 13h locais (10h em Brasília) de sexta-feira (16).

No entanto, o órgão destaca que os voos da Irlanda do Norte e da Escócia poderão ser retomados entre 1h local (22h de hoje em Brasília) e 13h locais (10h de amanhã em Brasília), todos sujeitos a coordenação individual. Os voos para Edimburgo, Glasgow, Belfast Prestwick também podem ser autorizados durante o período.

A principal companhia aérea francesa, a Air France, cancelou voos do Brasil com destino a Paris nesta quinta-feira (15) em decorrência da formação da nuvem. A cortina de fumaça vulcânica fechou diversos aeroportos na Europa, incluindo todos os do Reino Unido.

Grupo de discussão

Sua viagem para a Europa foi afetada? Você está em algum aeroporto europeu? Como está
a situação dos voos?

Os voos 455, que sairia de Guarulhos (SP) com destino a Paris às 16h15 de hoje, e o 443, do Galeão (RJ) com destino à mesma cidade às 16h20, foram cancelados, segundo a assessoria da empresa. Todos os passageiros desses voos serão realocados em outros voos --inclusive de outras companhias-- assim que o tráfego aéreo for normalizado na Europa, informou a empresa.

Outros dois voos que sairiam de Paris para o Brasil tiveram o horário de partida antecipado. O 442, de Paris para o Galeão (RJ), que sairia às 23h20, foi adiantado para às 21h50 e o 454, de Paris para Guarulhos (SP), foi alterado das 23h30 para às 22h00.

Segundo a assessoria da companhia aérea TAM, outra companhia que realiza viagens para a Europa, o voo JJ 8084, que saiu de Guarulhos (SP) às 0h04 desta quinta-feira (15) com destino a Londres, teve seu destino transferido para Madri, na Espanha, pelo fechamento do aeroporto na capital britânica. A assessoria informou que a companhia providenciou alimentação e hotel para os 350 passageiros e 19 tripulantes do voo, que serão reacomodados nas próximas opções de voos disponíveis, após a reabertura dos aeroportos no Reino Unido. De acordo com a empresa, o voo que sairia às 00h04 desta sexta-feira (16) de Guarulhos (SP) com destino a Londres será cancelado, para evitar o pouso em outro país. Os passageiros devem remarcar as passagens sem nenhum tipo de tarifa extra.

A British Airways, principal companhia aérea britânica, cancelou todos os voos até a manhã de sexta-feira (16). No Brasil, a assessoria da empresa informou que quatro voos para ou com destino ao Brasil foram cancelados. Dos quatro, três estavam marcados para hoje e um para amanhã (16).

Os cancelamentos de hoje são: 249, de Londres para o Galeão (RJ) às 13h15, 248, do Galeão (RJ) para Londres às 23h, e o 247, de Londres para Guarulhos (SP) às 21h50. O voo cancelado, que estava previsto para amanhã, é o mesmo 247 que se estenderia de Guarulhos (SP) para Buenos Aires às 7h05.


A British divulgou um comunicado que diz para os passageiros não irem aos aeroportos do país antes de checar o status dos voos, o que pode ser feito por meio do site da empresa. A companhia disse também que todos os passageiros afetados poderão alterar a data do voo sem multa, desde que seja na mesma classe.

O Serviço de Controle de Tráfego Aéreo (Nats, na sigla em inglês) do Reino Unido anunciou que o espaço aéreo do Reino Unido ficará restrito até as 13h de sexta-feira (16) (10h em Brasília). A British Aviation Authority (BAA), responsável pelos aeroportos no Reino Unido, confirmou todos os cancelamentos.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) informou que as companhias aéreas afetadas pelo fechamento dos aeroportos da Europa devem prover alimentação, hospedagem e remarcação dos bilhetes para todos os passageiros afetados depois de 4h de espera nos aeroportos. Caso os passageiros sejam avisados dos cancelamentos ou atrasos com antecedência, antes das pessoas saírem de casa para o aeroporto, esse apoio não é obrigatório.

Erupção na Islândia
em 1821 durou dois anos

A nuvem de cinzas que causou o cancelamento de voos em toda a Europa nesta quinta-feira veio de uma série de erupções de um vulcão em uma geleira na Islândia que começou no dia 20 de março. Trata-se da primeira erupção desse vulcão em quase 200 anos.

Outros fechamentos
A nuvem de cinzas também provocou caos no tráfego aéreo de outros países europeus. Quase todos os aeroportos da Irlanda, Noruega, Dinamarca, Suécia e Finlândia também foram fechados.

Em um comunicado, a Eurocontrol (Agência Europeia para a Segurança na Navegação Aérea) informou que as restrições aéreas podem chegar, ao longo da tarde desta quinta-feira, a outros países europeus, como a Bélgica e a Alemanha.

As restrições foram impostas devido a temores de que as cinzas, com mais de 6 km de altura, possam entupir turbinas de aviões em pleno voo e causar acidentes. Segundo especialistas, as cinzas contém pequenas partículas de rochas, vidro e areia suficientes para afetar as turbinas. Elas podem diminuir a visibilidade e danificar os controles de voo.

Já aconteceram casos de partículas de nuvens como essa pararem todas as turbinas de um mesmo avião. Em todos os episódios registrados, os pilotos conseguiram ligar o motor novamente depois de sair da nuvem. 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos