Após transtornos e muita chuva, prefeito de Salvador decreta estado de emergência

Especial para o UOL Notícias
Em Salvador

O prefeito João Henrique Carneiro (PMDB) decretou no final da manhã desta quinta-feira (15) estado de emergência em Salvador em consequência das fortes chuvas que provocaram caos na cidade --ruas e avenidas congestionadas, pessoas caminhando mais de duas horas para chegar ao trabalho, desabamentos de imóveis, deslizamentos de terra, quedas de árvores e postes e mortes. Além disso, pelo menos 500 mil alunos da rede pública da capital baiana e região metropolitana tiveram suas aulas suspensas hoje.

Salvador registra quase 70% das chuvas de abril em 24h

A Bahia voltou a registrar chuva forte e a capital Salvador foi a recordista do país nas últimas 24 horas. Segundo a Defesa Civil do município, a estação Aterro Centro teve o maior índice pluviométrico entre às 9h de ontem e às 9h desta quinta-feira (15): 225mm, sendo que apenas essa chuva representou quase 70% do que é normal para todo o mês de abril. Somando o acumulado do mês o valor chega a 735mm, mais que o dobro da média climatológica, que é de 326,2mm.

Entre o final da tarde desta quarta-feira (14) e 10h desta quinta, a Defesa Civil recebeu mais de 400 chamadas emergenciais, entre desabamentos de imóveis, deslizamentos de terra, quedas de postes e quedas de barreiras. Na periferia, onde a situação é mais crítica, duas crianças morreram nesta quarta-feira, elevando para seis o número de vítimas desde o início das chuvas, no começo deste mês.

Com as chuvas, muitos bairros de Salvador voltaram a conviver com a falta de energia --uma rotina há mais de duas semanas. Esta manhã, em Colinas de Periperi (periferia), um poste não resistiu aos fortes ventos e chuvas e caiu, provocando um princípio de incêndio. Bombeiros que trabalhavam no bairro foram para o local e controlaram a situação. A chuva também destruiu um trecho do acostamento da BR-324, a principal ligação entre Salvador e Feira de Santana, a segunda maior cidade do Estado.

As principais ruas e avenidas de Salvador estão completamente congestionadas. Em alguns pontos, o volume de águas chegou a 1,2 metro. Em três bairros periféricos, pelo menos quatro imóveis desabaram, provocando ferimentos em sete pessoas .Em Santo Amaro, o rio Subaé também subiu (dois metros), deixando pelo menos 1.500 moradores ilhados. Para atravessar as avenidas e ruas tomadas pela água, as pessoas estão utilizando barcos. Em Lauro de Freitas (região metropolitana), o rio Joanes transbordou e alagou a principal rua do município.

A Polícia Rodoviária Estadual solicitou que os moradores de Salvador e região metropolitana fiquem em suas residências e evitem sair às ruas. Segundo o secretário de Infraestrutura e Transporte, Euvaldo Jorge, a prefeitura vai alugar pousadas e quartos de hotéis para abrigar as famílias que tiveram de sair de suas residências.

De acordo com a Defesa Civil, 22 cidades da Bahia decretaram situação de emergência por causa das chuvas, mas o governo estadual, por enquanto, homologou apenas sete pedidos. Nesta manhã, a Prefeitura de São Francisco do Conde (80 km de Salvador) também avaliava a possibilidade de decretar situação de emergência. As fortes chuvas que atingiram o município nas últimas 36 horas desabrigaram e desalojaram pelo menos 210 famílias, derrubaram cerca de 70 casas e inundaram ruas e avenidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos