Sergipe homologa situação de emergência em 5 cidades; mais de 4.000 estão fora de casa

Paulo Rolemberg
Especial para o UOL Notícias

Em Aracaju

Cinco cidades do Estado de Sergipe tiveram seus decretos de situação de emergência homologados pela Defesa Civil Estadual nesta sexta-feira (16). Os municípios são Carmópolis, São Cristóvão, Pacatuba, Ilha das Flores e Neópolis. A medida agiliza a liberação dos recursos que estão sendo requeridos pelos municípios junto aos governos estadual e federal.


Mais nove cidades sergipanas estão com pedido de situação de emergência em avaliação na Defesa Civil: Aracaju, Maruim, Nossa Senhora do Socorro, Laranjeiras, Barra dos Coqueiros, Itabaiana, Salgado, Brejo Grande e Carira.

O temporal em Sergipe já deixou mais de 4.200 pessoas sem suas casas. De acordo com a Defesa Civil, 53 pessoas ficaram feridas devido às chuvas, sendo 47 em Aracaju. Na capital sergipana, os desabrigados, 868 no total, estão alojados em escolas públicas e pousadas da cidade.

Em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) decretou nesta quinta-feira (15) situação de emergência em seis áreas afetadas da cidade. Quatro pessoas ficaram feridas e um homem morreu na noite da última segunda-feira (12) após tentar atravessar um canal de esgoto.

Segundo a Defesa Civil, nos últimos sete dias de chuvas em Aracaju, já se tem acumulado 440 mm de precipitações chuvosas, quando a média normal para o mês de abril fica em torno de 242 mm. A meteorologia informa que ainda deve chover em Sergipe até o próximo domingo.

O governo do Estado informou que já enviou para as 17 cidades atingidas 3.080 cestas básicas, 730 colchões, cerca de 630 lençóis, 720 cobertores, 150 filtros e 60 travesseiros.

Falta de colchões
Famílias que estão abrigadas nas escolas públicas da capital reclamam da falta de condições nos locais e afirmam que faltam colchões e cobertores. “Não posso trazer meus filhos para cá porque não tem colchão e nem lençóis”, disse a dona de casa Maria de Fátima Oliveira.

A coordenadora de Proteção Social Básica da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Yolanda Oliveira, disse que há falta de colchões no comércio sergipano. "Nós não conseguimos mais comprar colchões, está em falta na cidade. Até conseguimos um fornecedor de fora do Estado, que nos doou 150 unidades.”

Ela pede que a população doe colchões em desuso. “É necessário que a população se sensibilize e ajude as famílias com o que elas precisam para se manter até que a situação se normalize”, enfatizou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos