Falta vacina contra gripe suína em clínicas particulares do país

Vinicius Konchinski
Da Agência Brasil
Em São Paulo

Está faltando vacina contra a influenza A (H1N1) - gripe suína em clínicas particulares do país por causa da grande procura e da oferta restrita. Com poucas alternativas, a parcela da população que não está incluída na Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus enfrenta dificuldades para encontrar a vacina fora da rede pública.

“As clínicas receberam uma quantidade muita pequena de vacinas. A procura foi grande e, logicamente, acabou”, admitiu Renato Kfouri, diretor da Associação Brasileira de Imunizações (SBIm), entidade que representa as clínicas particulares. Kfouri explicou que apenas um laboratório está vendendo parte da produção para os estabelecimentos privados, numa quantidade insuficiente para atender a demanda.

Em São Paulo, por exemplo, o laboratório Marano Medicina Preventina não está fazendo a imunização por falta de doses. Segundo a atendente René da Silva, a procura pela vacina contra a influenza A (H1N1) - gripe suína é grande, mas a clínica ainda aguarda a chegada de novas doses. Já o laboratório Imunocamp, de Campinas, recebeu as vacinas, mas elas acabaram rapidamente. “Começamos a vacinar na quinta-feira (22). Em três dias, esgotamos nosso estoque”, afirmou a enfermeira Alessandra Martins.

Para Kfouri, o pequeno número de laboratórios autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vender as vacinas agrava o problema. Ele disse o governo deveria facilitar a entrada de novos laboratório nesse mercado.

A Anvisa, entretanto, afirmou que dois laboratórios já estão autorizados a vender a vacina para clínicas particulares. De acordo com a agência, a decisão de não repassar mais doses para as clínicas faz parte de uma estratégia comercial das próprias empresas, da qual a Anvisa não pode intervir. Por meio da assessoria de imprensa, a agência reguladora informou ainda que a falta de vacinas em clínicas particulares não é motivo de preocupação. Pessoas incluídas nos grupos de maior risco podem ser vacinadas gratuitamente na rede pública de saúde.

A campanha contra a influenza A (H1N1) - gripe suína vai até 21 de maio. Gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos de idade, doentes crônicos, pessoas com idade entre 20 e 39 anos e maiores de 60 anos, além de indígenas, devem ser vacinados conforme calendário elaborado pelo Ministério da Saúde. A meta é vacinar 91 milhões de pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos