Incêndio atinge camelódromo na região da Central do Brasil, no Rio de Janeiro

Daniel Milazzo
Especial para o UOL Notícias
No Rio de Janeiro

 Atualizada às 22h11

Segundo o Corpo de Bombeiros, somente após a extinção total do incêndio é que a Polícia Civil, por meio de uma perícia, poderá afirmar qual foi a causa do incêndio de grandes proporções que atingiu um camelódromo que funcionava na rua Bento Ribeiro, na região da Central do Brasil, centro do Rio de Janeiro, na tarde desta segunda-feira.

Segundo o Corpo de Bombeiros, após mais de seis horas do início do incêndio, o fogo está "controlado, mas ainda não totalmente exterminado". De acordo com o órgão, mais de 50 homens ainda trabalham no local.

Os bombeiros informaram ainda que não há registro de vítimas graves, apenas alguns quadros de ansiedade e intoxicação devido ao excesso de fumaça. De acordo com a corporação, as vítimas foram atendidas no próprio local.

Bastante chocado, Ken-Wkpabi, 40 anos, jamaicano e dono de três barracas, afirma que chegou quando o incêndio já havia começado. "Estou indignado. E as pessoas que não tem outra renda?", questiona.

“Foi tudo muito rápido. As pessoas começaram a sair correndo e a jogar mercadorias na rua para tentar salvar alguma coisa”, relata José Raimundo Silva, vendedor ambulante que trabalha próximo ao local do incêndio e viu tudo.

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro disse que 40 guardas apoiam as ações dos bombeiros.

A CET-Rio (Centro de Gerenciamento de Tráfego) informou que a rua do Santana, trecho que dá acesso à Central do Brasil, também está interditada, além da rua Senador Pompeu e da entrada da praça Cristiano Otoni. As ruas que dão acesso ao túnel João Ricardo também permanecem fechadas ao tráfego.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos