Meteorologia prevê sol na maior parte do Paraná

Lúcia Nórcio
Da Agência Brasil
Em Curitiba

A frente fria que atingiu o Paraná provocando chuvas e ventos fortes se desloca hoje (28) para a região Sudeste e o oceano Atlântico. De acordo com o Instituto Tecnológico do Paraná (Simepar), o sol volta a predominar em boa parte do Estado. Apenas no norte, próximo à divisa com São Paulo, e também no litoral, o dia amanheceu com condições para chuvas fracas.

Nesta terça-feira, uma massa de ar frio se aproxima do Estado, favorecendo a queda da temperatura nas regiões oeste, sudoeste, sul, centro e leste.

Balanço divulgado pela Defesa Civil mostra que seis cidades ainda têm desalojados e desabrigados. Desde a noite da última quarta-feira (21), quando começaram as chuvas, 41 municípios sofreram algum tipo de estrago provocado pelas chuvas e ventos fortes. As regiões mais atingidas foram a metropolitana de Curitiba, o litoral, oeste, sudoeste e centro-sul do Estado.

Segundo o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Washington Alves da Rosa, nos últimos dias, o órgão chegou a registrar cerca de 240 mil pessoas afetadas. Esse número inclui os desabrigados e desalojados, que chegaram próximo aos 10 mil. De acordo com o último boletim, ainda permanecem desalojadas 378 pessoas, 543 estão desabrigadas e a população afetada soma 14 mil.

Uma queda de barreiras deixa hoje o tráfego em meia pista na Rodovia PR-438, no trecho entre Teixeira Soares e Guaragi, no km 24. Os trabalhos para liberar a pista estão sendo realizados pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

O trecho da PR-153 que liga os municípios de Irati e Imbituva, na altura do km 319, está completamente interditado. O asfalto cedeu no local, segundo o Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual.

O governo do Paraná criou uma força-tarefa para auxiliar os municípios mais atingidos. O trabalho contará com a participação da Defesa Civil e da Secretaria do Meio Ambiente, em parceria com as prefeituras dos municípios mais afetados. O objetivo é amenizar, o mais rápido possível, o transtorno que as chuvas têm causado. Máquinas e equipamentos foram colocados à disposição para desobstruir canais e rios.

No Rio Grande do Sul, a Defesa Civil monitora o nível do rio Uruguai e está em alerta para socorrer a população ribeirinha. Devido à cheia do rio, que está 9 metros acima do nível normal, 12 mil pessoas foram afetadas e 450 casas danificadas. Os municípios de Vicente Dutra, Marcelino Ramos e Maximiliano de Almeida são os mais afetados.

A expectativa da Defesa Civil é de que a chuva, que tem sido constante nos últimos dias, comece a diminuir a partir desta terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos