Polícia indicia três padres acusados de pedofilia em Arapiraca (AL)

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias

Em Maceió

Atualizada às 17h01

Seis pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil de Alagoas na última terça-feira (27) após a conclusão do inquérito que investigou denúncias de pedofilia envolvendo três padres da Igreja Católica na cidade de Arapiraca (140 km de Maceió).

Os monsenhores Luiz Marques Barbosa e Raimundo Gomes e o padre Edilson Duarte foram indiciados pelo crime de abuso sexual de menores. Além desse crime, o padre Edilson também foi indiciado por “importunismo ofensivo ao pudor” e ameaça, enquanto o monsenhor Luiz Marques foi enquadrado por oferecer bebidas alcoólicas a menores de 18 anos. Eles podem pegar penas entre quatro e dez anos de prisão.

Além deles também foram indicados por falso testemunho mais três pessoas – todas ligadas ao monsenhor Luiz Marques: o motorista José Reinaldo, a caseira Maria Izabel e a empregada doméstica Maria Batista. Elas teriam mentido em depoimentos à polícia. Reinaldo e Izabel chegaram a ser presos, no último dia 18, por conta da acusação, mas já foram libertados.

Segundo a delegada Maria Angelita, o caso já foi enviado ao Ministério Público de Alagoas, que deve oferecer denúncia a Justiça.

“Nós encerramos o nosso trabalho e recolhemos provas importantes contra os padres. O padre Edilson confessou os abusos, enquanto os dois monsenhores negaram. Mas existiram muitos depoimentos interessantes, dando conta que eles praticaram o abuso”, explicou.

O monsenhor Luiz Marques, de 83 anos, segue detido, já que teve prisão domiciliar decretada recentemente pelo juiz Rômulo Valença.

Outro lado
O advogado dos dois monsenhores, Edison Maia, afirmou que ainda não foi citado oficialmente sobre o indicamento e afirmou que prefere aguardar ter acesso ao documento para se pronunciar. Porém, ele voltou a assegurar que os dois monsenhores não são pedófilos. "O indicamento é uma peça meramente informativa e que não significa punição. O próprio MP [MInistério Público] pode sequer oferecer denúncia contra eles", explicou.

Segundo Maia, o monsenhor Luiz Marques confirmou em depoimento a prática de sexo com um ex-coroinha, mas assegurou que ele já havia completado 18 anos. O monsenhor Raimundo Gomes nega qualquer ato sexual com ex-coroinhas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos