Polícia Federal desenvolve sistema para aumentar segurança de grampos telefônicos

Alex Rodrigues
Da Agência Brasil

EM Brasília

A Polícia Federal (PF) espera implementar, em breve, um novo sistema tecnológico para realizar interceptações telefônicas, os chamados grampos legais. Segundo o diretor-geral da instituição, Luiz Fernando Corrêa, o novo software, bem como os novos procedimentos que vem sendo discutidos com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), darão maior controle e segurança ao recurso de investigação, evitando vazamentos e facilitando o controle pelo Poder Judiciário e pelo Ministério Público.

“Vamos digitalizar todo o processo, desde a representação [ao juiz] até as formas de acompanhamento das medidas [em curso]. Desta forma, juízes, delegados e promotores não ficarão mais restritos ao trâmite de papéis, o que, além de moroso, coloca em risco o sigilo da operação”, disse Corrêa ao fim do Seminário Internacional sobre Repressão ao Crime Organizado, promovido pela PF, em Brasília (DF).

Corrêa explicou que, atualmente, a PF é obrigada a entregar ao juiz responsável, a cada 15 dias, um relatório sobre cada operação. Com o novo sistema - que ainda não tem data para entrar em vigor, mas já foi submetido a testes preliminares - todos os procedimentos adotados pela instituição poderão ser acompanhados em tempo real.

“Isso dará maior celeridade, segurança e transparência às operações”, disse Corrêa, alegando que o valor do investimento ainda está sendo calculado.

“A tecnologia não substitui o homem. O que queremos é que, com as auditorias [em tempo real], esses deslizes sejam mais facilmente identificados. Assim, a sociedade se sentirá mais tranquila”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos