Terremoto no Acre não casou danos à população, afirma Observatório Sismológico

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB) informou nesta segunda-feira (24) que o terremoto de magnitude 6,5 registrado hoje no Acre não foi capaz de produzir danos à população local.

De acordo com os dados técnicos disponibilizados pelo Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, da sigla em inglês), o epicentro do tremor foi detectado a 464 km da capital Rio Branco e a 749 km de Lima, a capital do Peru. O abalo sísmico ocorreu às 13h18 (horário de Brasília).

Apesar da alta magnitude, o tremor não foi sentido na superfície - possivelmente devido à profundidade de 580 km -, disse um porta-voz da Defesa Civil da cidade de Cruzeiro do Sul, que fica a 127 km do epicentro do fenômeno.

De acordo com o pesquisador do Observatório Sismológico da UnB, George Sand França, o impacto de fato foi neutralizado pela profundidade em que ocorreu a movimentação de placas.

"Tremores como este, muitas vezes, não são percebidos. Especialmente, neste caso, que ocorreu a 580 km da superfície", afirmou o pesquisador.

Em geral, terremotos a mais de 500 km de profundidade não deixam sinais na superfície. Segundo o Observatório Sismológico, é nessa região do Acre que se chocam as placas tectônicas Sul-Americana e Andina.

A zona do epicentro do sismo fica em plena selva amazônica. No domingo, outro forte tremor de 5,9 graus atingiu diversas regiões do Peru, incluindo a capital, Lima, sem registro de danos, informou o Instituto Geofísico do Peru.

Na quarta-feira de manhã, outro terremoto de 6 graus na escala Richter foi observado no nordeste do Peru, a 131 km da cidade de Moyobamba.

Sem danos
O jornalista Chico Rocha estava nesta segunda-feira (24) na redação do jornal Tribuna do Juruá, em Cruzeiro do Sul, onde trabalha, quando percebeu o tremor. "Foi leve, mas perceptível. Isso já está se tornando tão comum na região que eu e meus colegas não estranhamos", contou.

O Corpo de Bombeiros ainda não registrou danos ou feridos na cidade. Em Rio Branco, apenas no alto de alguns prédios comerciais o tremor chegou a ser sentido. Quem trabalha no oitavo andar do Centro Empresarial, no centro, garante que sentiu um leve tremor. "Eu estava sentada na cadeira e senti o tremor em torno de uns 20 segundos, todos aqui sentiram. Ficamos assustados aqui no prédio", comentou a telefonista Márcia Bezerra.

Segundo Rosangela de Cássia Rocha, secretária de promoção social da cidade de Tarauacá, município vizinho ao epicentro, a prefeitura não registrou nenhuma anormalidade nesta segunda-feira. "Não sentimos nada nem fomos procurados para prestar socorro", afirma ela.

Histórico
No dia 25 de abril deste ano, um terremoto de magnitude 4,9 atingiu outra região próxima do Estado do Acre, segundo o USGS. O tremor ocorreu a 100 km a nororoeste de Cruzeiro do Sul, informou o USGS. Não houve notícias sobre feridos ou danos. O epicentro do tremor ficava a 245 km a nordeste de Pucallpa, no Peru. A profundidade foi de 17,1 km.

Também em abril, um tremor de 2,4 pontos na escala Richter assustou moradores do interior de Pernambuco. Não houve feridos nem danos materiais. O epicentro daquele tremor ocorreu em São Caetano, a 153 km de Recife. Antes, em 11 de janeiro, um outro tremor, de 4,3 de magnitude, foi sentido nas cidades de João Câmara e Natal, no Rio Grande do Norte.

* Com informações do Valor Econômico, das agências Estado e AFP, e de Andrea Zílio, especial para o UOL Notícias, em Rio Branco

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos