"Pensei que estava doente", diz mulher deu à luz de surpresa em Goiás

Luiz Felipe Fernandes

Especial para o UOL Notícias
Em Goiânia

Um caso curioso chamou a atenção da equipe que trabalha num posto de saúde da região leste de Goiânia. No último dia 10 de junho, a auxiliar de serviços gerais Ernestina de Carvalho Vieira Souza, 35, chegou ao local reclamando de dores abdominais. A médica que a atendeu informou que ela estava em trabalho de parto. Ernestina não sabia que estava grávida.

Minutos depois, na sala de reanimação do posto de saúde, ela deu à luz Lara Vitória, um bebê de 3,085 quilos e 50 centímetros. Saudável, a menina não precisou de tratamentos especiais, o que indicaria que a criança não nasceu prematura. Mãe e filha foram transferidas para uma maternidade apenas para os cuidados do pós-parto.

A mulher conta que no começo de janeiro procurou um posto de saúde da rede pública por estar sentindo “falta de ar”. Ela mesma levantou a hipótese de estar grávida, já que não estava menstruando. Ernestina foi submetida a uma série de exames. Segundo ela, a médica que os analisou informou que não se tratava de uma gravidez. “A suspeita é de que eu estivesse com um mioma”, relata.

Ernestina recebeu encaminhamento para mais dois exames – um Raio-x do tórax e uma ultrassonografia. A radiografia foi feita e também não indicou nada. “Fiquei com muito medo, porque minha mãe morreu de câncer. Pensei que eu também estava doente.” O bebê nasceu antes que a mulher tivesse tempo de realizar o outro exame.

Durante todo esse tempo, Ernestina disse que notou que a barriga crescia, “mas não parecia com barriga de grávida”. No Tribunal de Justiça de Goiás, onde ela trabalha, nem as colegas acreditaram na notícia de que a mulher tinha dado à luz uma menina.

No dia em que passou mal, Ernestina foi acompanhada pela irmã ao posto de saúde. Segundo Ivone Vieira de Carvalho, a médica que atendia no momento também ficou surpresa ao realizar o parto. “Ela (a médica) pensou que minha irmã estivesse grávida de uns três meses e que estava passando mal porque havia tomado abortivos”, conta.

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia informou que vai abrir uma sindicância para apurar se houve negligência ou falhas no atendimento. A coordenadora da Estratégia de Saúde de Família, Rosa Brígida Simões Barros, esclareceu que, caso seja detectado erro médico, a profissional que realizou a consulta pode ser denunciada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos