PF fecha duas centrais clandestinas de TV a cabo no RJ; cinco são presos

Daniel Milazzo
Do UOL Notícias
No Rio de Janeiro

Deflagrada às 5h desta quinta-feira (24), a operação “Gato de Botas” da Polícia Federal do Rio de Janeiro fechou nesta manhã duas centrais clandestinas de TV a cabo no Sul Fluminense, ambas localizadas no município de Volta Redonda.

O sinal ilegal gerado pelas centrais também alcançava bairros dos municípios vizinhos de Barra Mansa e Barra do Piraí. Segundo a PF, uma das centrais abrangia cerca de 30 bairros.

Cinco dos sete mandados de prisão foram cumpridos. Três pessoas foram presas em Volta Redonda e duas no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. De acordo com a PF, entre os cinco presos pela operação, um deles é policial militar.

Para a operação, foram mobilizados 66 policiais, que integram 15 equipes. Treze mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelos policiais.

O material apreendido e os presos estão sendo levados para a sede da PF no Rio, na Praça Mauá, centro da capital.

Segundo a Polícia Federal, de forma geral, a operação “Gato de Botas” não encontrou resistência e não deve se estender pelo período da tarde. Duas pessoas sujeitas a mandado de prisão continuam foragidas, podendo ser presas a qualquer momento.

Cruzada contra Gatonet

 

No último dia 14, a PF do Rio já havia realizado outra operação, intitulada de “Félix”, para desarmar o esquema de TV a cabo clandestina, conhecido como gatonet, na Baixada Fluminense. Foram cumpridos quatro mandados de prisão e dez de busca e apreensão em Nova Iguaçu, onde cerca de 30 mil pessoas pagavam R$ 30 mensais pelo serviço ilegal oferecido pela TV Nova Baixada, tida como a maior rede de TV a cabo clandestina do Estado.

 

Na operação “Félix”, os policiais federais apreenderam carros de luxo e bloquearam contas bancárias dos suspeitos. Entre os presos, estava o suposto dono da TV clandestina, o agente penitenciário José Miguel Carvalho de Matos. De acordo com a investigação da PF, o lucro mensal da TV Nova Baixada era de R$ 500 mil.

 

Os presos podem ser indiciados por formação de quadrilha e distribuição ilegal de sinal de TV. A pena pode chegar a sete anos de prisão.

 

Nesta quarta-feira (23), no município de Niterói, a Polícia Militar desarticulou central clandestina que funcionava no Morro do Cavalão, no bairro de Icaraí. Foram apreendidos receptadores e decodificadores na operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos