Alex de Jesus/ O Tempo/ AE

Caso Eliza Samudio

Bruno e Macarrão serão transferidos para presídio em Bangu, no Rio

Daniel Milazzo
Especial para o UOL Notícias
No Rio de Janeiro

O goleiro Bruno Souza e seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, serão transferidos ainda hoje para a unidade de Bangu 2, no Complexo de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada por Orlando Zacone, diretor da Polinter.

Segundo Zacone, o transporte dos presos será feito em duas viaturas policiais, que já estão preparadas para a missão. A expectativa é que isso ocorra por volta das 13h.

O motivo para a transferência, segundo o diretor da Polinter, é a falta de estrutura para abrigar os presos na Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, onde Bruno e Macarrão estão detidos desde ontem. Eles passaram a noite em celas separadas e improvisadas, não receberam visitas e não tomaram café da manhã, segundo policiais.

"Resolvemos entrar em contato com a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro) para que os dois presos sejam levados diretamente para o Complexo de Gericinó, em razão da repercussão do fato e da quantidade de repórteres, da movimentação que isso traz para a porta de uma delegacia ou de uma carceragem da Polícia Civil. Nós não temos condições de manter um serviço que atenda a esta demanda aqui", explicou.

A decisão vale até que seja definida a transferência dos suspeitos para Minas Gerais, que depende de uma decisão da Justiça fluminense.

Segundo Zacone, em Bangu há espaço exclusivo para presos provisórios.

Conclusão do inquérito

A polícia afirmou nesta quinta-feira (8) que o inquérito do caso está concluído. O relatório, que pode ser entregue ainda hoje ao Ministério Público, está sendo finalizado e apresenta denúncia contra o goleiro Bruno, Macarrão e o menor de 17 anos que está apreendido após prestar depoimento que mudou os rumos da investigação sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro.

Bruno, Macarrão e o adolescente serão indiciados por sequestro, sendo o goleiro como mandante e Macarrão como executor.

"O trabalho da polícia do Rio de Janeiro se encerrou, e os presos estão a disposição da Justiça", afirmou o delegado titular da DH, Felipe Ettore.

Advogado abandona caso

O advogado responsável pela defesa do goleiro Bruno, Michel Assef Filho, anunciou nesta manhã que abandonou o caso. "Estou deixando a causa oficialmente porque há um conflito de interesses entre o Flamengo e o atleta. Quem vai assumir a causa é um advogado de Minas Gerais. É o Dr. Quaresma”, afirmou, referindo-se a Ércio Quaresma Firpe, que defende a mulher de Bruno, Dayanne de Souza, e Macarrão. Assef representa o Flamengo.

O advogado esteve nesta manhã na Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, visitando seu cliente. Assef afirmou que Bruno está tranquilo, sendo bem tratado na delegacia e entendeu a decisão.

O defensor disse que defendia o atleta porque o goleiro é um patrimônio do clube. “A partir do momento que o Flamengo vai decidir suspender o contrato, eu deixo o caso oficialmente. Mas vou estar aqui rezando para que tudo dê certo.”

O contrato do goleiro com o time rubro-negro está suspenso. Além disso, uma empresa que patrocinava o atleta individualmente cancelou o acordo. Bruno tinha uma linha especial com produtos exclusivos, como chuteira, luvas e camisas personalizadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos